Gilvan De Souza / Flamengo
Gilvan De Souza / Flamengo

Carpegiani lamenta 'cobrança exagerada' e elogia desempenho do Fla no clássico

Rubro-negro venceu o Botafogo por 1 a 0 após empate na estreia da Libertadores no meio de semana

Estadão Conteúdo

04 Março 2018 | 10h02

Depois de ser goleado pelo Fluminense e apenas empatar na estreia da Copa Libertadores, em casa, contra o River Plate, o Flamengo se reabilitou neste sábado ao derrotar o Botafogo por 1 a 0, no Engenhão, pela Taça Rio, o segundo turno do Campeonato Carioca. E o resultado foi muito festejado pelo técnico Paulo César Carpegiani.

+ Flamengo vence clássico quente e acaba com os 100% do Botafogo 

+ Confira a tabela da Taça Rio

Insatisfeito com a cobrança após os dois jogos anteriores, o treinador lembrou que o Flamengo conquistou o primeiro turno do Carioca. E afirmou que o time tem sofrido uma pressão excessiva.

"O Flamengo é o único com possibilidade de disputar a vantagem lá na frente, ainda vamos jogar muitos clássicos. Quando falamos do clássico contra o Fluminense, temos que lembrar que deixei muitos atletas no Rio para preservá-los para o River Plate. Não podemos juntar todas essas partidas. A estreia na Libertadores foi contra uma equipe muito bem preparada, além de ter uma arbitragem horrível. Ninguém fala como ocorreu o 2 a 2", avaliou. "Há uma cobrança exagerada em cima do nosso time."

Carpegiani também elogiou a atuação do Flamengo no clássico e celebrou o bom resultado. "Fizemos o gol cedo e até a parada técnica tivemos algumas variações que permitiram o Botafogo ter a posse de bola. Eles não criaram muito, mas demos esse espaço. Gostei do desempenho no resto do primeiro tempo e no segundo até a expulsão do Vinicius (Júnior)", apontou. "O importante foi a vitória."

Sobre o desempenho individual, o treinador fez questão de destacar dois atletas. "Do lado esquerdo, o Lucas Paquetá e o Everton têm evoluído bastante. O futebol hoje exige que o Paquetá chegue bastante à frente. Estou tentando aproveitar aquilo que tenho de melhor tecnicamente. Tenho que usar um esquema tático que os favoreça. Se eu sentir alguma coisa diferente, farei as mudanças necessárias", complementou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.