AP
AP

Carrasco do Brasil na Copa do Mundo de 1982, Paolo Rossi morre aos 64 anos

Italiano marcou os três gols na vitória por 3 a 2 sobre a seleção brasileira no Mundial disputado na Espanha

Redação, O Estado de S.Paulo

09 de dezembro de 2020 | 21h49

Morreu nesta quarta-feira Paolo Rossi, carrasco da seleção brasileira na Copa do Mundo da Espanha, em 1982. O jogador tinha 64 anos. Nascido na cidade de Prato, em Florença, ele deixa a mulher, Federica, e os três filhos: Sofia Elena, Maria Vittoria e Alessandro. Segundo informações divulgadas pela imprensa italiana, a causa da morte foi um câncer de pulmão descoberto há pouco tempo.

Paolo Rossi foi o autor dos três gols da Itália na vitória sobre o Brasil por 3 a 2 na Copa de 1982. A seleção brasileira era comandada por Telê Santana e tinha diversos craques, como Zico, Falcão, Júnior e Sócrates. Mas foi a Itália que terminou com o título, então o tricampeonato mundial.

Além do Brasil, a Itália passou pela Argentina de Maradona, a Polônia de Boniek e a Alemanha de Rummenigge na final. É o artilheiro da Itália na história das Copa do Mundo, com nove gols, ao lado de Roberto Baggio e Vieri.

Na Copa do Mundo de 1982, o atacante não tinha marcado até a segunda fase. Depois disso, porém, fez os três gols sobre o Brasil, os dois da vitória por 2 a 0 sobre a Polônia e um na vitória por 3 a 1 sobre a Alemanha. Terminou o Mundial como artilheiro, com seis gols no total, e recebeu também a Bola de Ouro, tradicional prêmio dado pela revista France Football ao melhor jogador do ano.

Antes da Copa de 1982, Paolo Rossi foi acusado de envolvimento em manipulação de resultado, no chamado escândalo "Totonero". Em 1980, ele recebeu a suspensão de três anos, mas a pena foi reduzida para dois anos e ele pôde ser convocado para disputar o Mundial.

No futebol italiano, Paolo Rossi defendeu a Juventus, o Vicenza, o Perugia, o Milan e o Verona. Foi na 'Velha Senhora' onde ele teve mais sucesso. Conquistou a então Copa dos Campeões da Uefa, a Recopa Europeia, a Supercopa Europeia, a Copa da Itália e duas vezes o Campeonato Italiano.

Paolo Rossi encerrou a carreira em 1987. Passou a trabalhar como comentarista esportivo na imprensa italiana e em 2002 lançou o livro "Ho fatto piangere il Brasile" (Eu fiz o Brasil chorar, em português), uma autobiografia sobre sua trajetória nos gramados, com ênfase no jogo contra a seleção na Copa de 1982.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.