Carrinho em Eduardo da Silva foi acidente, diz zagueiro Taylor

Jogador do Birmingham City lamenta falta que quebrou a perna do atacante brasileiro naturalizado croata

Mitch Phillips, Reuters

29 de fevereiro de 2008 | 09h08

O jogador do Birmingham City Martin Taylor disse que os comentários feitos pelo técnico do Arsenal após o jogo em que o zagueiro quebrou a perna do atacante Eduardo da Silva manchou a visão das pessoas sobre o lance. O brasileiro naturalizado croata Eduardo fraturou a perna e deslocou o tornozelo após ter levado uma entrada violenta de Taylor nos primeiros minutos do jogo do fim de semana passado pelo Campeonato Inglês. Taylor foi expulso, e a partida acabou empatada em 2 a 2. Os jogadores do Arsenal ficaram visivelmente impressionados com a gravidade da contusão, e o técnico Arsene Wenger disse que Taylor deveria ser excluído do futebol para sempre - afirmação que ele retirou depois. "Pessoalmente, o comentário de Wenger não mudou meu ponto de vista porque eu sei que foi um acidente. Mas isso afetou a forma que as pessoas reagiram a isso", disse Taylor ao jornal Independent. "Arsene Wenger é um dos técnicos mais prestigiados do esporte, e as pessoas ouvem o que ele diz. As pessoas olharam de forma diferente porque alguém que é tão conceituado disse algo como aquilo." "Na hora eu não registrei muito o que ele disse. Porque eu sabia que tinha ido na bola, sabia que tinha sido um acidente. O fato de Arsene Wenger ter depois retirado o que disse, demonstra que ele agora aceita que foi um acidente." Taylor visitou Eduardo no hospital e disse que ficaria muito contente em ver o atacante voltar a jogar tanto pelo Arsenal como pela seleção da Croácia. "Pensei que talvez ele não quisesse me ver, o que seria bastante justo por causa do trauma. Mas ele foi bastante gentil ao me receber", disse Taylor. "Apesar da barreira do idioma, eu apenas disse que não tive intenção e que espero que ele se recupere rápido. Fiquei feliz por termos nos comunicado. Ele é obviamente um homem forte." "Quando ele recuperar a forma e colocar a bola na rede pelo Arsenal pela primeira vez, todos nós vamos nos sentir muito melhor." Taylor recebeu uma série de ameaças pelas Internet desde o incidente, mas ele disse que também houve mensagens de apoio de torcedores de todo o país.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.