Philippe Wojazer/Reuters e Felipe Rau/Estadão
Philippe Wojazer/Reuters e Felipe Rau/Estadão

Carta de Abilio Diniz e resposta de Leco acirram ânimos na eleição no São Paulo

Na véspera do pleito para presidente do clube, dupla troca ataques movimenta bastidores

Ciro Campos, Paulo Favero, O Estado de S. Paulo

17 de abril de 2017 | 23h14

O último dia da campanha para a presidência do São Paulo foi marcado pelo acirramento dos ânimos por causa de uma carta, divulgada na noite desta segunda-feira, de Abilio Diniz, empresário e presidente do Conselho de Administração da BRF, com críticas à atual gestão. "A escolha se dará entre continuar com a mediocridade ou voltar a ter esperança", escreveu ele. Em resposta, o presidente do clube, Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, classificou a iniciativa de Abilio como mais um ato "nocivo para degradar a instituição".

Na carta enviada por e-mail aos conselheiros do clube na véspera da eleição, Abilio pediu voto para o candidato da oposição, José Eduardo Mesquita Pimenta, adversário de Leco. "Votar na gestão atual é optar pelo mais do mesmo. Nesse caso, o mesmo é muito triste para a imensa nação são-paulina", escreveu o empresário. Em nota enviada nesta segunda à noite, Leco rebateu o ataque. "O empresário age como se os conselheiros do clube fossem seus empregados. Está enganado", afirmou.

Diniz é torcedor, membro do conselho consultivo, ativo na política do São Paulo e ajudou a destituir Carlos Miguel Aidar da presidência do clube em 2015. Após Leco assumir o comando do Morumbi, o empresário se reaproximou da presidência, mas, na carta desta segunda disse ter se decepcionado com Leco por não ter cumprido as metas de adequação do São Paulo ao novo estatuto, aprovado no último ano e que tem como uma das principais plataformas a descentralização de poder.

"Em pouco tempo o Leco mostrou sua cara. Tornou-se autossuficiente, virou as costas e não cumpriu nenhum compromisso de reestruturar o São Paulo. Leco e aqueles que o acompanham querem governar sozinhos e fazerem o que bem entendem", criticou Abilio Diniz.

Leco rebateu: "Em pouco mais de um ano e meio, tiramos o São Paulo do caos onde foi mergulhado e devolvemos sua credibilidade. Por fim, vale registrar que a equipe financiada por Abilio patrocinou toda sorte de abusos na campanha".

Segundo Abilio, Pimenta pode promover "uma reestruturação da dívida" do clube e montar um time "capaz". "O e-mail do senhor Abilio Diniz expressa com nitidez a sua personalidade e as razões pelas quais o candidato que ele tirou do bolso será derrotado nas eleições de hoje no São Paulo", afirmou Leco.

A campanha eleitoral no São Paulo neste ano foi uma das mais acirradas da história do clube. Até a noite desta segunda-feira, a situação contabilizava uma vitória por margem estreita de votos. A oposição, porém ainda contava ser possível reverter alguns apoios dados a Leco. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.