Carteiros entregam 6 mil cartas de torcedores à seleção brasileira

'Isso é a coisa mais gratificantes que temos ao representar o Brasil', disse o zagueiro David Luiz após pegar as correspondências

Robson Morelli - enviado especial a Teresópolis, O Estado de S. Paulo

20 de junho de 2014 | 14h44

Dois carteiros entregaram na tarde desta sexta-feira na Granja Comary seis mil cartas vindas do Brasil inteiro para os jogadores da seleção. O cenário foi montado na entrevista de Marcelo e David Luiz, que receberam seus pacotes, mais ou menos com a mesma quantidade de correspondências. O preferido de quem escreve é Neymar, com dois miniconteiners de plástico em seu nome. Felipão também tinha sua caixa.

Os carteiros Robério Guimarães e Carlos Alberto Mesquita disseram que já entregaram na Granja cerca de 7 mil cartas desde que a seleção se concentrou em Teresópolis para a Copa do Mundo. Marcelo comentou que tem uma equipe somente para se comunicar com os fãs, para ler as correspondências e também trabalhar seu nome nas redes sociais. David Luiz preferiu ressaltar o carinho dos torcedores. "Isso é a coisa mais gratificantes que temos ao representar o Brasil. Essa dedicação das perssoas e esse carinho nos ajudam muito."

 
Felipão costuma receber algumas 'encomendas' de Porto Alegre ou de cidades gaúchos vizinhas. São pacotes que os carteiros acham que pode ser seu tradicional chimarrão, que divide com o amigo Murtosa.

Das milhares de cartas destinadas aos jogadores da seleção em Teresópolis, uma teve de ser devolvida. Ela veio para Cristiano Ronaldo, o craque da seleção portuguesa, que se concentra em Campinas, interior de São Paulo. "A pessoa mandou para o endereço errado. Devolvemos", disse Robério.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.