Cartões também podem decidir Paulista

O polêmico critério dos cartões também pode definir o campeão paulista da temporada. A exemplo do que acontece no Torneio Rio-São Paulo, o Paulistão 2002 poderá ser decidido pelo número de cartões, embora a disciplina seja apenas o quarto critério de desempate no regulamento do campeonato que chega ao final no próximo domingo.São quatro concorrentes ao título estadual. O Ituano é o líder com 37 pontos, um a mais que o União São João. O Rio Branco é o terceiro, com 34, o mesmo número que o Juventus, que tem um saldo de gols muito inferior aos demais e tem poucas chances.A decisão será na última rodada, programada para domingo, às 11 horas. O Ituano enfrenta o América, em São José do Rio Preto, enquanto o União São João atua em Araras, contra a lanterna Matonense. Já o Rio Branco, também em casa, joga contra o União Barbarense.Se Ituano e União São João perderem, o Rio Branco pode empatar na liderança com o time de Itu, com 37 pontos. As duas equipes também empatariam em número de vitórias (10), que é o primeiro critério de desempate. No segundo e terceiro critérios de desempate, os dois clubes estão muito próximos. Em caso de vitória por um gol de diferença do Rio Branco e derrota por um gol do Ituano, as duas equipes empatariam em saldo de gols (9) e gols marcados (35).A partir daí, aparece o polêmico critério do cartão. O menor número de cartões vermelhos passaria a ser a próxima opção como desempate, seguido pelo menor número de cartões amarelos. Segundo dados divulgados no site oficial da Federação Paulista de Futebol, o Ituano levaria vantagem sobre o Rio Branco no número de cartões. A FPF atribui nove cartões vermelhos para o clube de Americana e oito para o de Itu. Nos amarelos, o Rio Branco levaria vantagem: 57 a 59.Já prevendo a possibilidade da decisão pelos cartões, a direção do Rio Branco conferiu os números e encontrou erros nas estatísticas da FPF. Segundo o clube, seus jogadores receberam sete cartões vermelhos e apenas 53 amarelos."Só fomos ao Tribunal de Justiça em sete vezes defender jogadores por expulsões. Então, não são nove cartões", afirmou o presidente do clube de Americana, Oswaldo de Nadai, que aguarda um pronunciamento oficial do departamento técnico da Federação Paulista sobre o caso.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.