Cartola da Mancha fica no Carandiru

Enquanto o Palmeiras estava em campo, o ?presidente de honra? da Mancha Alviverde, Paulo Serdan, cumpria "castigo" na sala de espera do 9º DP, no Carandiru, Zona Norte de São Paulo (SP). Ele e outros dez palmeirenses estão tendo de comparecer a uma delegacia da Capital no horário de início dos jogos desde o último dia 19. Neste sábado, foi flagrado pela imprensa pela primeira vez, já que o Ministério Público não revela em quais locais os torcedores irão comparecer.Serdan não viu a vitória do Palmeiras. O jogo só foi transmitido pelo pay-per-view, que não existe na delegacia. Mas foi avisado sobre o andamento do jogo no Palestra. Segundo o delegado adjunto do 9.º DP, Avelino Alves da Costa Jr., os torcedores punidos podem assistir às partidas pela televisão. "Se a TV da delegacia estiver ligada no jogo do Palmeiras, pode acompanhar.""Sou favorável a esse tipo de punição. As próprias organizadas já haviam feito essa sugestão, que deu muito certo na Inglaterra e na Itália. Isso ajuda a afastar muita gente ruim dos estádios. Punição mesmo seria assistir do lado do presidente (do Palmeiras, Affonso Della Monica) e não poder falar nada", disse Serdan.A pena alternativa foi determinada após uma pancadaria ocorrida no dia 6 de março, envolvendo torcedores da Macha e da TUP, ao lado do Parque Antártica. A briga aconteceu horas antes do clássico entre Palmeiras e Santos, pelo Paulistão. Nesse dia, a PM deteve 46 torcedores. Até o fim deste mês, outros 17 serão convocados para audiências, onde será oferecido o acordo. Aqueles que aceitam ficam livres do processo criminal.Quando o jogo for em São Paulo, Santo André ou Campinas, os torcedores devem ficar no distrito até fim do jogo. Se for em outras localidades, basta comparecer ao DP, assinar um termo e, em seguida, estão liberados. Quem descumprir o acordo volta a ser processado pelo crime de rixa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.