Reprodução / Instagram / Benjamín Garré
Reprodução / Instagram / Benjamín Garré

CAS mantém absolvição do Manchester City por contratação de jovem argentino

Tribunal considerou transferência do Vélez para o clube inglês legal porque o jovem possui passaporte italiano

Estadão Conteúdo

17 de abril de 2018 | 13h38

A Corte Arbitral do Esporte (CAS, na sigla em inglês) determinou nesta terça-feira a manutenção do veredicto da Fifa declarando que o Manchester City agiu corretamente quando contratou o jovem Benjamín Garré, do argentino Vélez Sarsfield, não quebrando o seu estatuto de transferências de menores de 18 anos.

+ Após título do Manchester City, Agüero passa por artroscopia no joelho

+ 3 anos como profissional e 4 títulos: os números de Gabriel Jesus

A CAS, assim, rechaçou o recurso apresentado pelo Vélez contra o veredicto da Fifa que favoreceu o City anteriormente. E o tribunal, baseado na Suíça, vai publicar o conteúdo detalhado da sua decisão na sexta-feira.

Em 2016, o Vélez denunciou o City à Fifa e alegou que o clube inglês não havia cumprido com o regulamento de transferências ao contratar Garré poucos dias antes de o jogador completar 16 anos.

O time de Manchester se defendia sob o argumento de que podia registrar Garré na Associação de Futebol da Inglaterra e na Fifa porque o meia possuía um passaporte italiano.

A entidade gestora do futebol mundial explicou que acatou a legislação da União Europeia que permite as transferências internacionais de jogadores de 16 e 17 anos. Por isso, anteriormente a Fifa havia declarado que "não existem elementos que justificassem" a punição ao City.

Garré ainda não foi aproveitado pela equipe de Manchester em seu time principal, sendo aproveitado nas divisões de base do clube.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.