CAS mantém punição a Adamu por corrupção na Fifa

A Corte Arbitral do Esporte (CAS, na sigla em inglês) manteve a suspensão de três anos imposta pela Fifa a Amos Adamu por ter pedido suborno durante o processo de escolha das sedes das Copas do Mundo de 2018 e 2022. O dirigente nigeriano entrou com recurso na corte, mas teve o seu recurso rejeitado.

AE-AP, Agência Estado

24 de fevereiro de 2012 | 16h08

Assim, a CAS confirmou a decisão do comitê de ética da Fifa de expulsar Adamu de todas as atividades relacionadas ao futebol até outubro de 2013. A corte assinalou, ainda, que a suspensão "é relativamente leve tomando em conta a gravidade do delito" cometido pelo dirigente.

Adamu foi gravado por jornalistas britânicos pedindo US$ 800 mil em troca do seu voto no processo de escolha das sedes dos Mundiais de 2018 e 2022. O dirigente disse que o dinheiro seria usado para pagar a construção de campos de futebol na Nigéria. O escândalo envolveu o nigeriano e outros cinco dirigentes da Fifa.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolFifaCASAmos Adamucorrupção

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.