CAS nega recurso e suspende jogador da seleção de Gana por quebra de contrato

A Corte Arbitral do Esporte (CAS, na sigla em inglês) confirmou nesta terça-feira a decisão da Fifa e manteve a suspensão de quatro meses imposta ao zagueiro Jonathan Mensah, da seleção de Gana. Ele foi punido por quebra de contrato por ter se transferido da Udinese para o Evian Thonon Gaillard de forma irregular, ainda em 2011.

Estadão Conteúdo

19 de maio de 2015 | 09h17

A punição havia sido definida pela Fifa em julho do ano passado. Mensah recorreu à CAS, mas não teve sucesso. A Corte julgou que o jogador de 24 anos ainda tinha vínculo com a Udinese, da Itália, quando acertou com o clube francês. Ele alegava que não havia mais nenhuma ligação com o time anterior.

Mensah vai cumprir o primeiro mês de sua punição ainda nesta temporada europeia. O restante da suspensão será aplicado no próximo clube que vir a defender, já que ele deve deixar o Evian ao fim desta temporada - o clube acabou de ser rebaixado para a segunda divisão.

O Evian também está sujeito a punições. De acordo com a CAS, a Fifa poderá definir uma compensação financeira do clube para a Udinese. Ou ainda poderá impedir o time francês de fazer novas contratações por um período determinado.

A sanção, contudo, não afetará o rendimento de Mensah na seleção de Gana. Ela só se aplica aos clubes. Por essa razão, ele poderá defender a equipe ganesa já no próximo mês, na partida contra as Ilhas Maurício, pelas Eliminatórias da Copa Africana de Nações de 2017.

Mensag disputou as duas últimas Copas do Mundo. No Brasil, em 2014, esteve em campo nas três partidas de Gana na fase de grupos. Antes disso, foi campeão mundial com a seleção de Gana sub-20 em 2009.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolGanaJonathan Mensah

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.