Divulgação/River Plate
Divulgação/River Plate

CAS pune o River Plate e jogo com o São Paulo será com portões fechados

Corte confirma o título da Libertadores de 2018, mas clube argentino pagará multa e jogará em casa sem torcedores nos três jogos como mandante

Redação, O Estado de S.Paulo

04 de fevereiro de 2020 | 14h50

A Corte Arbitral do Esporte informou nesta terça-feira decisão de manter o River Plate como campeão da Copa Libertadores da América de 2018. O tribunal suíço julgou improcedente o pedido do Boca Juniors, que entrou com uma ação na CAS antes mesmo da final que foi disputada no Santiago Bernabéu, em Madri, em dezembro daquele ano.

Apesar da manutenção do título, o River Plate foi punido pela CAS pelos incidentes nos arredores do Monumental de Nuñez antes do segundo jogo da decisão. Torcedores da equipe atacaram o ônibus do Boca Juniors e feriram alguns jogadores. A partida foi adiada e posteriomente levada para o estádio do Real Madrid.

O River Plate terá de pagar uma multa de US$ 400 mil (R$ 1,69 milhão) e jogar duas partidas da atual edição da Libertadores com os portões fechados. Como foi punido com um jogo pelo uso de sinalizados no Monumental de Nuñez contra o mesmo Boca Juniors pela semifinal do torneio continental do ano passado, o time do técnico Marcelo Gallardo vai atuar sem torcida nas três partidas da fase de grupos.

Desta forma, o jogo com o São Paulo, agendado para o dia 22 de abril, terá portões fechados no Monumental de Nuñez. O mesmo irá acontecer na partida contra o Binacional, do Peru, em 11 de março, e diante da LDU, do Equador, em 5 de maio, no fechamento da fase de grupos da Libertadores.

"Em seu apelo ao CAS, o Boca Juniors procurou anular a decisão e substituí-la por uma em que o River Plate seja responsabilizado pela conduta de seus apoiadores durante o ataque ao ônibus e que o River Plate seja sancionado com desqualificação da Copa Libertadores de 2018 ou com 'sérias sanções disciplinares'. O Painel da CAS constatou que, embora o River Plate tenha violado o Regulamento Disciplinar da Conmebol, não poderia ordenar a desqualificação do River Plate da Copa Libertadores de 2018, uma vez que a sanção teria sido excessiva nas circunstâncias do caso", explicou o CAS, na decisão.

"O Painel da CAS considerou que a sanção apropriada a ser imposta ao River Plate pelo ataque de ônibus foi de dois jogos com portões fechados, a serem cumpridos nos próximos dois jogos da Copa Libertadores do River Plate em casa", encerrou.

No final de novembro de 2018 e após os incidentes ocorridos antes da partida de volta da final da Libertadores, a Conmebol levou o jogo entre River Plate e Boca Juniors para o Santiago Bernabéu, com aprovação da Fifa, Uefa e da Federação Espanhola. Em 9 de dezembro, o River venceu por 3 a 1 e ficou com o título.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.