AP
AP

CAS pune Olimpia por demitir jogador que tinha câncer

Corte Arbitral deu ganho de causa ao jogador Sebastían Ariosa

Estadão Conteúdo

12 de agosto de 2015 | 09h26

A Corte Arbitral do Esporte (CAS), localizada na Suíça, deu ganho de causa ao jogador uruguaio Sebastián Ariosa em processo motivo por ele contra o Olimpia, do Paraguai. Em 2013, o defensor precisou se afastar dos gramados para se tratar contra um câncer e acabou demitido pelo clube.

De acordo com Alexandra Gómez, advogada da FIFPro, sindicato mundial dos atletas, a corte suíça entendeu que o clube não era responsável pelo estado de saúde do jogador, mas era responsável por sua atitude frente a esta situação. Por isso, Ariosa vai receber uma indenização de US$ 60 mil por danos morais, o equivalente a 7% do contrato total que ele tinha com o Olímpia.

Além disso, o clube paraguaio terá que pagar US$ 90 mil como compensação esportiva pelo rompimento do contrato, de sete cinco ano. Como a CAS é a instância máxima da justiça desportiva, não cabe recurso.

No início deste ano, Ariosa passou a treinar no Defensor Sporting, de Montevidéu, clube onde foi revelado. O lateral-esquerdo, entretanto, não consta no elenco disponível no site oficial do Defensor e ainda não atuou. Sua última partida oficial foi em maio de 2013, contra o Fluminense. Naquele ano, o Olímpia chegou à final da Libertadores contra o Atlético-MG.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolcâncerOlimpia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.