Everton Oliveira/Estadão
Everton Oliveira/Estadão

Casa Brasil ainda não tem traços nacionais em Moscou

Mesmo com a Copa já em andamento, espaço dedicado ao País não começou a funcionar em bar de classe A da capital russa

Glauco de Pierri, enviado especial / Moscou, O Estado de S.Paulo

19 de junho de 2018 | 05h00

O Summer Garden é um bar de classe A em Moscou. Longe da Praça Vermelha, dos estádios de Luzhnik e do Spartak, e ainda longe da estação de metrô mais próxima, ele fica escondido em uma rua nas proximidades do luxuoso hotel Radisson, às margens do Rio Moscou. É nesse local que a Casa Brasil deveria ter começado a funcionar, mas, pelo menos até esta segunda-feira, dia 18, o espaço não tinha nenhuma referência ao País.

+ Shows de Gilberto Gil na Rússia são cancelados devido a 'entraves burocráticos'

+ Casa montada em Moscou para exibir o Brasil durante a Copa vai custar R$ 12 milhões

+ Lula critica seleção brasileira e diz que Alemanha não é invencível

O bar é sofisticado e não tem nem uma bandeira do Brasil, exceto a que acompanha as 31 de outras seleções da Copa. A reportagem do Estado visitou o local nesta segunda, quando dez russos relaxavam em espreguiçadeiras e confortáveis sofás ao ar livre enquanto assistiam a Bélgica e Panamá. Nenhum russo sabia que o bar era o local do ‘Brasil Experience’. A casa "brasileira" deveria ter sido aberta dia 14 de junho, juntamente com o primeiro jogo da Copa. Não foi.

Aproveitar a Copa do Mundo na Rússia para ‘exportar’ a cultura brasileira. Essa é a ideia central do Ministério da Cultura (MinC) do Brasil, que nada tem a ver com a Casa Brasil, ou o Brasil Experience, gerido pela agência Vivid Brand, do Grupo Publicis. Instalada em uma antiga choperia de Moscou, a promessa era, e ainda é, a de aproveitar o mundial de futebol para mostrar ao planeta, além da cultura, a música e a gastronomia tipicamente brasileiras. A montagem do espaço custou R$ 12 milhões. O MinC investiu R$ 3 milhões numa licitação para que sua agenda fosse colocada em prática na Rússia. Para isso, contratou a empresa a BM & A, que ficou responsável pela programação cultural do Brasil em Moscou. Segundo a assessoria de imprensa do MinC, não existe nenhuma relação do ministério com a Casa Brasil, a não ser a decisão de a empresa licitada escolher o mesmo lugar para mostrar sua agenda. 

A Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo) até iria capitanear a organização da Casa Brasil, mas o órgão, ligado ao Governo Federal, desistiu ainda no início do processo. O mesmo ocorreu com a Confederação Brasileira de Futebol (CBF), segundo reportagem publicada no Estado em março. Nem mesmo o filme publicitário sobre o espaço ficou pronto ainda.

No bar em Moscou, nenhum funcionário fala português, não existe nenhuma referência à cultura ou ao esporte do Brasil e, no cardápio, em russo e em inglês, não há nada, comidas ou bebidas, tipicamente brasileiro. A Casa Brasil ainda não foi inaugurada e isso, de acordo com o MinC, prejudicou o cardápio de ações do Ministério da Cultura.

Na quinta passada, problemas no pagamento do aluguel atrasaram a abertura da Casa Brasil. A promessa de nova abertura era para esta segunda. Mas mudou de novo. Em nota enviada à reportagem, a ‘Organização Brasil Experience’ afirma que a previsão de inauguração será “até o dia 27/6, data do primeiro jogo do Brasil em Moscou”.

Ainda segundo os organizadores da Casa Brasil, a “caracterização do espaço alugado estará concluída até a data de sua inauguração (27/06). Não havendo, portanto, qualquer compromisso de caracterização prévia do espaço”.

O MinC informou que investiu R$ 3 milhões para que uma programação cultural sobre o Brasil fosse feita em Moscou, não necessariamente no mesmo espaço da Casa Brasil. Já os organizadores da Casa Brasil afirmam que “não existe relação com qualquer instituição pública. A realização da Brasil Experience é fruto da iniciativa privada. Portanto, não há contrato da produção Brasil Experience com o Ministério da Cultura, tampouco risco de rompimento, cancelamento do projeto e/ou ingerência do ministério junto aos organizadores”. O único problema é que até agora nada aconteceu na Rússia sobre a cultura do Brasil.

A agenda de apresentações de artistas brasileiros não foi confirmada pelos organizadores. Procurado, o MinC enviou a seguinte nota de esclarecimento:

1. O Ministério da Cultura não é responsável pelo projeto Brasil Experience - Casa Brasil na Rússia. A gestão do espaço é da agência Vivid Brand, do Grupo Publicis. 

2. O Ministério da Cultura realizou uma chamada pública para selecionar um projeto de programação cultural a ser realizado durante a Copa do Mundo FIFA 2018, na Rússia, com o objetivo de estimular a internacionalização da cultura brasileira.

3. O projeto selecionado foi o da organização da sociedade civil Brasil Música & Artes (BM&A), que obteve a melhor pontuação entre os nove inscritos. 

4. Este projeto prevê a realização de atividades de música e gastronomia. O local escolhido pela BM&A foi a Casa Brasil. 

5. Cabe à BM&A assegurar a realização tanto das apresentações musicais quanto das atividades gastronômicas previstas, conforme termo firmado com o Ministério da Cultura.

6. Este termo estabelece que, em caso de não execução do objeto, valores eventualmente repassados devem ser restituídos.

7. Os shows e atividades gastronômicas podem ocorrer em qualquer data e local, desde que durante o período da Copa. Eventuais alterações no Plano de Trabalho devem ser submetidas ao Ministério da Cultura para avaliação.

 

 

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.