Everton Oliveira/Estadão
Everton Oliveira/Estadão

Casa Brasil ainda não tem traços nacionais em Moscou

Mesmo com a Copa já em andamento, espaço dedicado ao País não começou a funcionar em bar de classe A da capital russa

Glauco de Pierri, enviado especial / Moscou, O Estado de S.Paulo

19 Junho 2018 | 05h00

O Summer Garden é um bar de classe A em Moscou. Longe da Praça Vermelha, dos estádios de Luzhnik e do Spartak, e ainda longe da estação de metrô mais próxima, ele fica escondido em uma rua nas proximidades do luxuoso hotel Radisson, às margens do Rio Moscou. É nesse local que a Casa Brasil deveria ter começado a funcionar, mas, pelo menos até esta segunda-feira, dia 18, o espaço não tinha nenhuma referência ao País.

+ Shows de Gilberto Gil na Rússia são cancelados devido a 'entraves burocráticos'

+ Casa montada em Moscou para exibir o Brasil durante a Copa vai custar R$ 12 milhões

+ Lula critica seleção brasileira e diz que Alemanha não é invencível

O bar é sofisticado e não tem nem uma bandeira do Brasil, exceto a que acompanha as 31 de outras seleções da Copa. A reportagem do Estado visitou o local nesta segunda, quando dez russos relaxavam em espreguiçadeiras e confortáveis sofás ao ar livre enquanto assistiam a Bélgica e Panamá. Nenhum russo sabia que o bar era o local do ‘Brasil Experience’. A casa "brasileira" deveria ter sido aberta dia 14 de junho, juntamente com o primeiro jogo da Copa. Não foi.

Aproveitar a Copa do Mundo na Rússia para ‘exportar’ a cultura brasileira. Essa é a ideia central do Ministério da Cultura (MinC) do Brasil, que nada tem a ver com a Casa Brasil, ou o Brasil Experience, gerido pela agência Vivid Brand, do Grupo Publicis. Instalada em uma antiga choperia de Moscou, a promessa era, e ainda é, a de aproveitar o mundial de futebol para mostrar ao planeta, além da cultura, a música e a gastronomia tipicamente brasileiras. A montagem do espaço custou R$ 12 milhões. O MinC investiu R$ 3 milhões numa licitação para que sua agenda fosse colocada em prática na Rússia. Para isso, contratou a empresa a BM & A, que ficou responsável pela programação cultural do Brasil em Moscou. Segundo a assessoria de imprensa do MinC, não existe nenhuma relação do ministério com a Casa Brasil, a não ser a decisão de a empresa licitada escolher o mesmo lugar para mostrar sua agenda. 

A Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo) até iria capitanear a organização da Casa Brasil, mas o órgão, ligado ao Governo Federal, desistiu ainda no início do processo. O mesmo ocorreu com a Confederação Brasileira de Futebol (CBF), segundo reportagem publicada no Estado em março. Nem mesmo o filme publicitário sobre o espaço ficou pronto ainda.

No bar em Moscou, nenhum funcionário fala português, não existe nenhuma referência à cultura ou ao esporte do Brasil e, no cardápio, em russo e em inglês, não há nada, comidas ou bebidas, tipicamente brasileiro. A Casa Brasil ainda não foi inaugurada e isso, de acordo com o MinC, prejudicou o cardápio de ações do Ministério da Cultura.

Na quinta passada, problemas no pagamento do aluguel atrasaram a abertura da Casa Brasil. A promessa de nova abertura era para esta segunda. Mas mudou de novo. Em nota enviada à reportagem, a ‘Organização Brasil Experience’ afirma que a previsão de inauguração será “até o dia 27/6, data do primeiro jogo do Brasil em Moscou”.

Ainda segundo os organizadores da Casa Brasil, a “caracterização do espaço alugado estará concluída até a data de sua inauguração (27/06). Não havendo, portanto, qualquer compromisso de caracterização prévia do espaço”.

O MinC informou que investiu R$ 3 milhões para que uma programação cultural sobre o Brasil fosse feita em Moscou, não necessariamente no mesmo espaço da Casa Brasil. Já os organizadores da Casa Brasil afirmam que “não existe relação com qualquer instituição pública. A realização da Brasil Experience é fruto da iniciativa privada. Portanto, não há contrato da produção Brasil Experience com o Ministério da Cultura, tampouco risco de rompimento, cancelamento do projeto e/ou ingerência do ministério junto aos organizadores”. O único problema é que até agora nada aconteceu na Rússia sobre a cultura do Brasil.

A agenda de apresentações de artistas brasileiros não foi confirmada pelos organizadores. Procurado, o MinC enviou a seguinte nota de esclarecimento:

1. O Ministério da Cultura não é responsável pelo projeto Brasil Experience - Casa Brasil na Rússia. A gestão do espaço é da agência Vivid Brand, do Grupo Publicis. 

2. O Ministério da Cultura realizou uma chamada pública para selecionar um projeto de programação cultural a ser realizado durante a Copa do Mundo FIFA 2018, na Rússia, com o objetivo de estimular a internacionalização da cultura brasileira.

3. O projeto selecionado foi o da organização da sociedade civil Brasil Música & Artes (BM&A), que obteve a melhor pontuação entre os nove inscritos. 

4. Este projeto prevê a realização de atividades de música e gastronomia. O local escolhido pela BM&A foi a Casa Brasil. 

5. Cabe à BM&A assegurar a realização tanto das apresentações musicais quanto das atividades gastronômicas previstas, conforme termo firmado com o Ministério da Cultura.

6. Este termo estabelece que, em caso de não execução do objeto, valores eventualmente repassados devem ser restituídos.

7. Os shows e atividades gastronômicas podem ocorrer em qualquer data e local, desde que durante o período da Copa. Eventuais alterações no Plano de Trabalho devem ser submetidas ao Ministério da Cultura para avaliação.

 

 

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.