David Gray / Reuters
David Gray / Reuters

Casaque é suspensa pela IAAF por doping em reanálise de exame de Londres-2012

Doze casos de doping envolveram atletas do Cazaquistão desde 2017

Estadão Conteúdo

29 Outubro 2018 | 11h26

Mais de seis anos depois da disputa dos Jogos Olímpicos de Londres, a Associação das Federações Internacionais de Atletismo (IAAF, na sigla em inglês) anunciou a suspensão provisória de uma atleta do Casaquistão que testou positivo para dois esteroides anabolizantes em uma reanálise de exame antidoping realizado na Olimpíada de 2012.

A Unidade de Integridade do Atletismo informou que Natalya Ivoninskaya teve detectada neste novo teste as substâncias proibidas turinabol e estanozolol, sendo que ela foi eliminada já nas eliminatórias dos 100 metros com barreiras dos Jogos de Londres.

Este órgão da IAAF também revelou que este caso da atleta está pendente de uma medida disciplinar a ser aplicada pelo Comitê Olímpico Internacional (COI), que tem dado continuidade às reanálises dos exames antidoping em um programa que inicialmente também incluiu os testes ocorridos na Olimpíada de 2008, em Pequim.

Após este processo motivado por uma série de escândalos de dopagem, sendo a maioria deles envolvendo competidores da Rússia - país suspenso das disputas de atletismo dos Jogos de 2016, no Rio -, mais de 100 casos de doping já foram deflagrados.

O COI disse que no ano passado 12 casos de doping envolveram atletas olímpicos do Casaquistão, entre eles halterofilistas e lutadores. Último nome do país a ser reprovado em um teste, Ivoninskaya, de 33 anos, já participou de duas edições da Olimpíada e tem a marca de 12s68 como o seu recorde pessoal, obtido em 2012, na prova dos 100 metros com barreiras.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.