Reprodução/SPFC TV
Reprodução/SPFC TV

Casares toma posse na presidência do São Paulo e promete 'realinhamento financeiro' do clube

Substituto de Leco promete fazer grande economia com a troca de funcionários e o estabelecimento de metas

Redação, O Estado de S.Paulo

01 de janeiro de 2021 | 21h27

O novo presidente do São Paulo, Julio Casares, tomou posse no cargo na noite desta sexta-feira em cerimônia no salão nobre do estádio do Morumbi. Eleito para um mandato de três anos, o dirigente destacou no discurso a necessidade de o clube economizar e renegociar dívidas para ter uma gestão mais tranquila. O novo mandatário já iniciou até mesmo a nomeação de novos funcionários para compor a nova diretoria.

"A austeridade financeira é algo que estamos exigindo. Os profissionais que virão em substituição aos outros vão representar uma economia", disse Casares no discurso de posse. Por causa da pandemia do novo coronavírus, o evento contou com a presença de poucas pessoas e foi transmitido ao vivo pelo canal do clube no YouTube. "Vamos trabalhar um realinhamento financeiro e teremos um comitê para nos ajudar nessa linha. Temos de reorganizar nossa dívida, negociar prazos", completou.

Casares venceu na eleição a disputa com Roberto Natel e anunciou como principal novidade a chegada do ex-treinador Muricy Ramalho para o cargo de coordenador de futebol. Outros dirigentes já foram nomeados para áreas como jurídica e o departamento de marketing. Na próxima segunda-feira o presidente promete divulgar uma lista de 50 metas a serem cumpridas nos primeiros cem dias no cargo.

O presidente são-paulino vai colocar em prática no clube um sistema com câmeras setoriais compostas por conselheiros e diretores para delegar funções e acompanhar o desenvolvimento de diferentes atividades. "Vamos ter câmaras setoriais por área. Teremos três conselheiros abnegados para ajudar o diretor. Essa câmara terá prazos e metas. Vamos constituir mais proximidade do diretor com os conselheiros", explicou.

Antecessor de Casares, o atual presidente do São Paulo, Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, afirmou que deixa o cargo contente pelo trabalho realizado. "Eu saio tranquilo, de cabeça erguida, de que vou entregar o São Paulo arrumado, superado de traumas para uma pessoa profissional, de grande expressão. Uma figura que desenvolveu na sua vida", disse. Leco estava no cargo desde outubro de 2015.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.