Casemiro atinge 100 jogos e quer vida nova no São Paulo

Apontado como um dos mais promissores talentos das categorias de base do São Paulo, o volante Casemiro comemorou contra a Portuguesa a marca de 100 jogos pelo clube. Aos 20 anos, ele estreou como profissional em 2010 contra o Santos e desde então nunca conseguiu se firmar e corresponder às enormes expectativas criadas em torno do seu futuro. A principal crítica está no fato de o volante não conseguir manter a regularidade e, em alguns casos, exagerar na plasticidade de alguns lances.

FERNANDO FARO, Agência Estado

17 de setembro de 2012 | 20h49

Mais maduro, o volante reconhece que viveu altos e baixos e agora se propõe a retomar os melhores dias. Fora de campo, trabalhou em dois períodos para melhorar a forma física e tem agradado ao técnico Ney Franco, que passou a lhe dar mais oportunidades entre os titulares e eventualmente até o escala como zagueiro.

"Me lembro muito bem daquele jogo (contra o Santos). Voltamos lá recentemente e falei para os meus familiares que seria minha reestreia, da volta por cima. Graças a Deus caminhou tudo certo, voltei a jogar, a ser lembrado e isso é importante", afirmou ao site oficial.

Se ainda não conseguiu se firmar na carreira mesmo com passagens pelas seleções de base e principal, Casemiro é criterioso na hora de eleger os ídolos e mira ninguém menos que Rogério Ceni como modelo a ser seguido dentro e fora de campo.

"Vestir a camisa do São Paulo é um sonho de criança, uma felicidade imensa. Sempre corri atrás disso e não tem sensação melhor. Desde o primeiro jogo dando o meu melhor. Cada partida é uma batalha. Me sinto a pessoa mais feliz do mundo. São 100 jogos, mas quero fazer igual o Rogério, mais de mil jogos com essa camisa", completou o jogador.

Apesar da empolgação, o volante ainda busca seu lugar na equipe. Denilson e Maicon têm sido os escolhidos de Ney Franco para fazer a marcação no setor e têm a confiança do técnico. Wellington, recuperado de cirurgia no joelho, é outro que briga por uma vaga. Nada capaz de assustar Casemiro.

"Voltei a jogar e estou muito feliz. Mesmo quando não estava em uma boa fase, eu continuei trabalhando sério, querendo algo mais e fazendo treinos extras no CT. Me preparei para isso novamente e estou muito concentrado".

Tudo o que sabemos sobre:
futebolSão Paulo FCBrasileirão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.