Casemiro pressiona São Paulo por aumento de salário

Embalado pelo título do Sul-Americano Sub-20, o volante Casemiro surpreendeu nesta terça-feira ao pressionar a diretoria do São Paulo por um aumento de salário. Em entrevista coletiva, o jovem jogador disse que os valores do seu contrato estão defasados e ameaçou deixar o clube.

MARCIUS AZEVEDO, Agência Estado

22 de fevereiro de 2011 | 18h33

"O São Paulo não me procurou, mas preciso sentar e conversar, porque há propostas de fora, de outros países, propostas boas até", afirmou o atleta. "Sou muito grato ao São Paulo, mas não posso deixar de valorizar tudo o que fiz na seleção", completou o volante, cujo vínculo com São Paulo vai até o final de 2015.

Casemiro citou o amigo Lucas para pedir aumento salarial. O meia renovou recentemente seu contrato com o São Paulo até 2015, com um salário de R$ 110 mil e nova multa rescisória no valor de 80 milhões (R$ 180 milhões).

"Não tive o assédio igual ao do Lucas. Eu também não estou reclamando do que foi feito com o Lucas, mas preciso cuidar da minha situação", afirmou o volante, que depois tentou minimizar o efeito de suas declarações. "Não posso me preocupar com dinheiro. Tenho de jogar e ser titular. Se isso acontecer, consequentemente, vem o aumento. Não tem essa de cobrança".

A entrevista gerou mal-estar na diretoria do clube. O vice-presidente de futebol Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, ficou irritado com o ocorrido. Segundo ele, o momento foi inoportuno. "O local escolhido foi inapropriado. Ele deveria ter nos procurado primeiro", disse o dirigente, que descartou qualquer punição ao atleta.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolSão PauloCasemiro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.