Bernat Armangue/AP
Bernat Armangue/AP

Casemiro testa positivo para a covid-19 e será cortado da seleção brasileira

Volante não deve enfrentar Venezuela e Uruguai pelas Eliminatórias; no Real Madrid, Hazard também é diagnosticado

Redação, Estadão Conteúdo

07 de novembro de 2020 | 09h56

O técnico Tite vai ter de fazer mais uma mudança na seleção brasileira que enfrenta Venezuela e Uruguai pelas Eliminatórias Sul-americanas para a Copa do Mundo de 2022. O Real Madrid anunciou na manhã deste sábado que deu positivo o teste da covid-19 do volante Casemiro e também do belga Hazard.

De acordo com os espanhóis, os testes foram realizados na sexta-feira e apenas os resultados da dupla deu positivo. Os meio-campistas já está em isolamento de 14 dias. Casemiro se apresentaria na Granja Comary nesta segunda-feira.

"O Real Madrid comunica que nossos jogadores Casemiro e Hazard deram resultado positivo nos testes de covid-19 realizados nesta sexta-feira pela manhã", iniciou o comunicado oficial dos espanhóis.

Apesar da convivência com os companheiros, ninguém mais do grupo testou positivo e todos estão aptos a jogar neste domingo, na casa do Valencia, pelo Campeonato Espanhol. "Todos os demais jogadores e o corpo técnico da primeira equipe, assim como todos os empregados no clube que trabalham diretamente com eles, deram resultados negativos na mesma prova realizada no dia de ontem", garantiu o Real Madrid.

Antes de Casemiro, Tite já havia cortado Eder Militão, do Real Madrid, também por causa da covid-19, além de Rodrigo Caio, Fabinho e Philippe Coutinho, todos por lesão. Neymar está com problemas físicos, mas será mantido na seleção para tentar jogar, ao menos, diante do Uruguai.

A apresentação da seleção brasileira está marcada para esta segunda-feira, em Teresópolis, no Rio. Serão os dois últimos jogos do ano e a equipe nacional defenderá o aproveitamento perfeito e a liderança nas Eliminatórias.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.