Matthieu Alexandre/AFP
Matthieu Alexandre/AFP

Benzema vira réu por chantagem a colega de seleção na França

Atacante confessa ter feito contato com 'amigo de infância' que teria lhe pedido que assumisse as discussões com Valbuena

Andrei Netto, correspondente em Paris, O Estado de S. Paulo

05 de novembro de 2015 | 10h33

O Tribunal de Justiça de Versailles anunciou nesta quinta-feira que levará o atacante do Real Madrid e da seleção francesa, Karim Benzema, a julgamento pelo caso de chantagem do qual seu companheiro de seleção, Mathieu Valbuena, é vítima. Retido para investigações desde a quarta-feira, o jogador confessou ter participado, mas de forma "inconsciente", do esquema, chamado de "sex tape", por envolver um vídeo que o meia do Lyon gravou com sua mulher.

A informação sobre a "mise en examen", a decisão jurídica de transformar Benzema em réu de um processo judicial, foi confirmada no início da tarde desta quinta, horário de Paris, pela Justiça. Pela manhã, o Ministério Público havia confirmado que solicitara à Justiça a realização de um julgamento sobre o caso. O atacante foi liberado da detenção e deixou as dependências do Palácio de Justiça de Versailles, nas imediações da capital, sem falar com a imprensa francesa e internacional.

Segundo a rede de televisão BFMTV e a rádio RTL, Benzema reconheceu ao longo da noite "ter intervindo e dialogado com Valbuena a pedido de um amigo de infância, que teria sido abordado por três bandidos que teriam posse de um vídeo sexual". "Benzema declarou ter concordado com seu amigo de infância sobre o que deveria dizer para que seu colega de seleção negociasse exclusivamente com ele", completou a fonte ouvida pelos dois veículos. O jogador teria afirmado ainda ter "querido ajudar seu amigo", sem ter a consciência de que estaria participando de um esquema de chantagem contra Valbuena.

No entender da juíza de instrução de Versalhes, Nathalie Boutard, o atleta do Real Madrid teria desempenhado o papel de "intermediário" na chantagem, e por isso deve responder à Justiça. Entre outras provas, os vínculos entre as partes teriam sido estabelecidos por seis conversas telefônicas interceptadas e gravadas pela polícia entre junho, quando do início do caso, e outubro, quando a informação veio à tona.

A mesma quadrilha teria sido responsável por outro caso de chantagem, desta vez contra o ex-atacante da seleção francesa, Djibril Cissé, que em 2008 teria pago 100 mil euros (R$ 413 milhões) para se livrar da extorsão. Mas em outubro passado o próprio Cissé foi detido pela polícia para averiguações sobre o caso envolvendo Valbuena.

FORA DO FUTEBOL

O advogado de Benzema, Sylvain Cormier, continua a negar a responsabilidade de seu cliente, afirmando que ele "não participou da operação de chantagem" e que, aos olhos da Justiça, continua inocente até que se prove o contrário. A grande questão que paira nesta quinta-feira é sobre o futuro do atleta, que joga em Madri. Sob medidas de controle judiciário, um réu em tese não pode deixar a França nem entrar em contato com outras partes envolvidas no suposto crime, em especial a vítima.

Nesse caso, Benzema pode não ser convocado pelo treinador da seleção francesa, Didier Deschamps, para os amistosos contra a Alemanha, em Paris, e contra a Inglaterra, em Londres – os dois mais importantes compromissos da equipe na preparação para a Eurocopa 2016.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.