Divulgação
Divulgação

Caso de Iago Maidana deverá ser julgado na CBF em até 2 semanas

Caso já foi julgado pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva

MARCIO DOLZAN, O Estado de S. Paulo

27 de outubro de 2015 | 15h57

Além do julgamento realizado pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), o caso envolvendo a transferência do zagueiro Iago Maidana também será analisado pelo Comitê de Resolução de Litígios da CBF. O grupo deverá se reunir em até duas semanas, e dificilmente o clube paulista escapará de nova punição, entre elas a perda de pontos, multa e até a proibição de contratar novos jogadores.

Na quarta-feira, antes do julgamento no STJD, os advogados de defesa de São Paulo, Criciúma e Monte Cristo alegaram que o tribunal não teria competência para julgar parte das denúncias, opinião acatada pela corte.

"São dois regulamentos que foram infringidos, o Regulamento de Registro e Transferência e o Regulamento de Intermediários. A competência do STJD é para julgar o Regulamento de Registro e Transferência, isso que foi julgado ontem (quarta). A participação de um intermediário não registrado é julgado pelo Comitê de Resolução de Litígios", explicou nesta quinta-feira o diretor de Registros da CBF, Reynaldo Buzzoni.

Ele negou que a CBF tenha errado ao encaminhar toda a denúncia ao STJD. "Não houve equívoco. A CBF encaminhou porque houve descumprimento de dois regulamentos, e quando isso acontece tem que enviar ao STJD. O STJD, na parte de Intermediários, viu que não era de sua competência", defendeu Buzzoni.

O comitê existe há cerca de cinco anos e é formado por cinco membros eleitos. Todos eles são advogados - Gilberto Pereira Cavalcante, Carlos Eduardo Cardoso, Celio Tomaz Jardim, Luiz Guilherme Barbosa e Otacílio Leite, sendo que os dois últimos já foram auditores do STJD. Diferentemente do tribunal, os casos julgados pelo comitê da CBF ocorrem em única instância.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.