Estadão/Arquivo
Estadão/Arquivo

Caso Kevin: defesa vai pedir habeas corpus semana que vem

Doze corintianos continuam presos na Bolívia desde o dia 20 de fevereiro

RAPHAEL RAMOS, O Estado de S.Paulo

19 de abril de 2013 | 08h02

A defesa dos 12 corintianos presos na Bolívia desde o dia 20 de fevereiro acusados pela morte de Kevin Espada, de 14 anos, espera receber até segunda-feira o resultado da inspeção feita com a presença deles quarta-feira no estádio Jesus Bermúdez, onde o torcedor do San Jose morreu, para então entrar com um pedido de habeas corpus.

A Justiça boliviana deve entregar fotos e laudos técnicos da inspeção ocular, espécie de reconstituição do crime, feita pelos corintianos. Cinco torcedores alegam que nem estavam dentro do estádio no momento em que Kevin morreu. São eles: Tadeu Macedo Andrade, Tiago Aurélio dos Santos Ferreira, Rafael Machado Castilho Araújo, Reinaldo Coelho e Marco Aurélio Nefeire.

Em um primeiro momento, a defesa espera conseguir pelo menos a prisão domiciliar dos 12 torcedores - uma casa já foi alugada em Cochabamba, cidade distante cerca de 200 quilômetros de Oruro, onde os brasileiros estão detidos.

VIAGEM AO BRASIL

De acordo com o chefe do Ministério Público boliviano, Ramiro Guerrero, que na quarta-feira encontrou-se com o ministro da Justiça brasileiro, José Eduardo Cardozo, em Sucre, o promotor responsável pelo caso, Alfredo Santos Canaviri, viajará a São Paulo nas próximas semanas para colher o depoimento do menor que se apresentou como autor do disparo do sinalizador marítimo que matou Kevin.

Tudo o que sabemos sobre:
CorinthiansLibertadoresOruro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.