Caso Liedson, cada vez mais enrolado

Para evitar eventuais complicações na Fifa com o Dínamo de Kiev, o advogado de Liedson, Vinícius Andrade Mendes, aconselhou o Corinthians a tentar um acordo com o clube ucraniano. A diretoria corintiana, no entanto, desconfia do conselho e vai aguardar a volta do jogador para rediscutir o negócio. O Corinthians também espera um contato com o Prudentópolis, dono de 70% dos direitos federativos do jogador, para tentar um acordo amigável e garantir a permanência do atacante no Parque São Jorge. Liedson continua no interior da Bahia e ainda não procurou o Corinthians. Mas sabe-se que o jogador quer permanecer no Parque São Jorge. Antes de embarcar para Kiev, segunda-feira passada, o atacante admitiu que estava arrependido do negócio e que pretendia assinar um novo contrato com o Corinthians. Somente viajou porque foi aconselhado por seu advogado. Mas, ao chegar à Ucrânia, disse que não queria ficar por lá. Dois fatos estão bastante claros para o Corinthians. Liedson não assinou um pré-contrato com o Dínamo, como chegou-se a suspeitar. O próprio advogado do jogador já admitiu que o atacante assinou apenas um documento aceitando as bases contratuais. O outro fato é que Liedson ainda tem um contrato com o Corinthians até 31 de dezembro. No clube se acredita que o sumiço de Liedson faça parte de uma estratégia. Como as inscrições para a temporada européia terminam dia 31, se ele não acertar com nenhum outro clube da Europa a única saída seria retornar ao Corinthians. E se o Prudentópolis ainda assim insistisse em tirar o jogador do clube, correria um sério risco de desvalorizá-lo, já que Liedson não poderia se transferir para nenhum outro clube da série A, por já ter jogado pela equipe corintiana. O vice-presidente de futebol do Corinthians, Antonio Roque Citadini, informou que o clube aguarda um contato do Prudentópolis para resolver amigavelmente a questão. "Estamos abertos ao diálogo, mas até agora ainda não apareceu ninguém para conversar", resumiu o dirigente. Enquanto Liedson não acerta seu retorno, Kleber e Pingo, liberados pelos médicos, devem jogar quarta-feira, contra o Bahia, em Salvador. Gil ainda sente dores, mas também tem chances de atuar.

Agencia Estado,

21 de julho de 2003 | 20h22

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.