Caso Richarlyson: Tricolor lava as mãos

?Se tiver de voltar ao Santo André, fico dois anos sem jogar até terminar o meu contrato e depois sigo minha vida?, afirma Richarlyson, de 22 anos, que treinou nesta quinta-feira no São Paulo mesmo com o clube do ABC tendo conseguido uma liminar, que o obriga a voltar ao clube. Para Sérgio Prado, diretor de futebol do Santo André, não resta outro caminho a Richarlyson a não ser voltar ao clube. ?Estamos de braços abertos para ele, apesar da injustiça que fez conosco abandonando a concentração de madrugada sem dar explicações.?Richarlyson, alegando falta de recolhimento do FGTS, conseguiu na Justiça sua desvinculação do Santo André. Acertou com o São Paulo, depois de fazer até exames médicos no Palmeiras. Nesta quinta, foi surpreendido com a reviravolta. ?Estou muito tranqüilo. Sei que vou continuar minha carreira no São Paulo, o clube que escolhi.? O São Paulo não se mostra sensibilizado com tanto amor. A diretoria deixou claro que não vai se envolver no caso. Espera que Richarlyson consiga a desvinculação e, aí sim, volte ao clube.Tanto os advogados de Richarlyson como os do Santo André mostram-se muito confiantes. ?Vamos entrar com recurso no Tribunal Superior do Trabalho e, em uma semana tudo vai se resolver?, diz Renato Prata, advogado do jogador.A alegação inicial de Richarlyson era de que não havia recebido o Fundo de Garantia referente a janeiro, que deveria ter sido pago até 5 de fevereiro. ?Foi um grande erro dele?, diz Marisa de Souza Alija Ramos, advogada do clube.Explica: ?O Santo André, como muitas empresas, deposita o Fundo de Garantia de todos os seus funcionários de forma conjunta. O dinheiro todo vai para a Caixa Federal, e cabe a ela fazer a individualização. Separa o que cabe a cada funcionário. Ele tirou um extrato, pela Internet, viu que o dinheiro do fundo não estava e foi à Justiça. Nós provamos que ele estava errado e conseguimos a liminar.?CORTADO - Renato Prata discorda, mas diz que há mais motivos que justificam a desvinculação. ?Ele esteve emprestado ao Fortaleza, que não lhe pagou salários. O Santo André é co-responsável pelos pagamentos e isso já garante a desvinculação do jogador.?Cita outro exemplo. ?O contrato dele era de 2/10/2002 até 24/1/2005. O clube rescindiu e fez um novo contrato sem conversar com o jogador. Teria de pagar uma verba indenizatória que o jogador não recebeu. São muitas irregularidades e ele vai sair do Santo André, tenho certeza disso.?A multa rescisória de Richarlyson com o Santo André é de R$ 2,5 milhões. Sérgio Prado diz que o jogador está sendo multado diariamente desde que deixou o clube. ?E há um prazo para ele voltar. Caso não volte, será obrigado a pagar os R$ 2,5 milhões. Ele deveria pensar no que está fazendo.?Richarlyson estava relacionado para a viagem do a Belém, mas foi cortado. Não joga enquanto a situação não for resolvida.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.