Caso Romário: Flamengo recorre ao STJ

Apesar da vitória ser uma hipótese remota, o Flamengo informou que vai recorrer da decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ), onde foi condenado na quarta-feira a pagar US$ 4,3 milhões, cerca de R$ 14 milhões, ao atacante Romário. Depois de o ministro da Quarta Turma do STJ, Sálvio de Figueiredo, proferir sentença favorável ao atleta, o Rubro-Negro entrará com um recurso para que os outros quatro juízes da mesma turma também se manifestem. A tendência, no entanto, é a de que os outros ministros acompanhem a decisão de Figueiredo. Não é comum no STJ que este tipo sentença seja revista. Ainda que a condenação seja mantida, o Flamengo poderá recorrer no próprio tribunal. Neste caso, a questão seria encaminhada para a Segunda Turma, especializada em causas cíveis. De acordo com um dos advogados de defesa do Flamengo, Cláudio Roberto Marques, o clube também já recorreu ao Supremo Tribunal Federal (STF). Mas, um dos indícios de que a situação é praticamente irreversível, está no fato de que o STF indeferiu, no primeiro instante, a manobra jurídica do Rubro-Negro. Mesmo assim, outra ação foi impetrada no órgão, mas ainda não recebeu um parecer. "Até hoje o Flamengo não foi comunicado dessa decisão do STJ. De qualquer maneira, seja qual for o resultado, iremos recorrer", disse o advogado rubro-negro. "Ainda temos algumas alternativas." A briga entre Romário e o Flamengo começou em 1998 e o craque cobra o recebimento de um contrato por cessão dos direitos de imagem. Para tentar a vitória, o Rubro-Negro chegou a alegar que o atacante "denegria" a imagem do clube, desobedecia ordens de seus superiores, brigava com os colegas e participava de "desatinos noturnos, regados a mulheres, festas e badalações". Romário ainda possui outro processo, este na Justiça Trabalhista, contra o Flamengo. O jogador quer receber cerca de R$ 10 milhões, referentes a salários e prêmios atrasados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.