Cassano causa polêmica na Itália

Marcello Lippi enfrenta sua primeira grande polêmica como técnico da Itália. O novo responsável pela ?Squadra Azzurra? deixou fora de sua lista de convocados, pela segunda vez consecutiva, Antonio Cassano, um dos destaques da Roma. O atacante de 22 anos não foi chamado para defender o time nacional nas partidas contra Eslovênia (sábado) e Bielo-Rússia (dia 13), pelo grupo 5 das Eliminatórias Européias da Copa do Mundo de 2006."Sou grande fã do futebol de Cassano", disse o ex-técnico da Juventus, nesta segunda-feira, na apresentação do grupo. "Trata-se, neste momento, apenas de uma questão de condição física", ponderou Lippi. "Assim que ele estiver bem, será chamado", prometeu. "Aliás, no futuro vou convocá-lo tantas vezes que ele até ficará cansado de servir à seleção", brincou, para não estender muito o tema desgastante.Lippi foi diplomático, mas os críticos têm certeza de que Cassano, o bad boy da nova geração do futebol italiano, está na ?geladeira? por conta de seu temperamento explosivo. A temporada de 2004-05 está apenas no começo e ele já foi pivô de alguns incidentes.Na rodada inicial do campeonato doméstico, foi expulso, por agredir Chiellini, da Fiorentina. Duas semanas atrás, o técnico Rudi Voeller (que já se demitiu) o mandou para casa, porque se irritou com seu comportamento na concentração, antes do jogo com o Dinamo Kiev, pela Liga dos Campeões da Europa. E no domingo, Luigi del Neri (novo treinador da Roma) enfrentou a fúria de Cassano, quando decidiu substituí-lo, durante o clássico com a Inter de Milão, que terminou em 3 a 3. O jogador saiu de campo vaiado."Ele precisa de ajuda", observou Fabio Capello, ex-treinador da Roma e hoje na Juventus. "Eu o tratei como filho."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.