Cassano coloca Inter 'acima do céu' em apresentação

Aos 30 anos, Antonio Cassano teve a coragem que poucos atletas tiveram nas últimas décadas: trocar o Milan pela Inter de Milão. Polêmico, o atacante foi apresentado no seu novo clube neste sábado e teve contestada a sua declaração quando da chegada ao rival. Na ocasião, disse que, acima do Milan, só o céu. Como pensaria ele agora jogando no arquirrival?

AE, Agência Estado

25 de agosto de 2012 | 11h26

"Havia dito que acima do Milan estava o céu. Mas acima do céu está o Inter", disse Cassano, escorregando da comparação entre dois dos maiores rivais do futebol italiano. Assim que foi anunciada a sua contratação, quarta-feira, ele já havia revelado que é torcedor da Inter de Milão.

O atacante da seleção da Itália culpou diretamente o vice-presidente e diretor executivo do Milan, Adriano Galliani, por não ter correspondido a outra declaração de quando chegou ao clube rubro-negro: "Se eu falhar no Milan, devo ser internado num hospício".

"Eu não falhei, mas sim alguém que está acima do treinador. Prometia, prometia, falava muito, mas não fazia nada. Por isso fui embora", disse Cassano, se referindo a Galliani, em frase reproduzida no site da Inter de Milão.

O atacante, que sofreu um AVC durante a temporada passada e conseguiu se recuperar a tempo de jogar a Eurocopa, disse guardar boas lembranças do Milan. "Gostaria de agradecer a (o presidente do Milan) Silvio Berlusconi, que me apoiou e colocou à minha disposição um império. Agradeço à Bárbara Berlusconi, que sempre se portou bem comigo. A (o médico Rodolfo) Tavano, que salvou minha vida, e a (o assistente técnico Mauro) Tassotti. E a ninguém mais", reforçou Cassano.

A negociação entre Inter de Milão e Milan envolveu também o atacante Pazzini, que foi jogar no clube rubro-negro. De acordo com a imprensa europeia o Milan, além de enviar Cassano, pagou ao rival 7,5 milhões de euros (cerca de R$ 19 milhões) por Pazzini. Curiosamente, os dois foram companheiros de equipe na Sampdoria, onde atuaram juntos de 2008 a 2011.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.