Cassano pede desculpas ao presidente da Sampdoria

Suspenso do time e ameaçado de demissão, o atacante italiano Cassano recuou neste domingo e pediu desculpas publicamente ao presidente da Sampdoria, Riccardo Garrone. Foi justamente por ter discutido com o dirigente que ele foi punido e, segundo a imprensa da Itália, poderia ter até mesmo o contrato rescindido.

AE, Agência Estado

31 de outubro de 2010 | 17h46

A confusão começou na terça-feira, quando Cassano recusou convite de Garrone para acompanhá-lo em um jantar onde receberia um prêmio. O jogador alegou que não foi ao evento para ficar com a esposa, que está grávida, mas o caso provocou mal-estar na Sampdoria, resultando na sua suspensão por tempo indeterminado.

"Estou muito triste com o que aconteceu e já pedi desculpas ao presidente Garrone, a quem eu prezo muito, na frente dos meus companheiros de time", revelou Cassano, em entrevista neste domingo, quando ele desfalcou a Sampdoria na vitória sobre o Cesena, pelo Campeonato Italiano, por causa da suspensão imposta pelo clube.

Apesar do pedido de desculpas, a situação de Cassano na Sampdoria não está definida. O atacante de 28 anos ainda corre risco de ter seu contrato rescindido. E a confusão também poderá afastá-lo da seleção italiana, já que o técnico Cesare Prandelli avisou que não vai chamar jogadores suspensos pelos seus clubes.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolSampdoriaCassano

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.