EFE/ Juan Ignacio Roncoroni
EFE/ Juan Ignacio Roncoroni

Cássio celebra classificação do Corinthians na Bombonera: 'Jogamos do jeito que dava'

Equipe alvinegra se defende durante todo o segundo tempo, impede Boca Juniors de chegar à meta e busca vaga nos pênaltis

Redação, O Estado de S.Paulo

06 de julho de 2022 | 01h04

Mais uma vez o goleiro Cássio cresceu em jogo decisivo e foi fundamental para o Corinthians. Na noite desta terça-feira, o experiente jogador defendeu dois pênaltis nas cobranças que desempataram o duelo com o Boca Juniors e foi o herói da classificação corintiana às quartas de final da Copa Libertadores.

Ao fim da partida, ele celebrou sem deixar de reconhecer as dificuldades enfrentadas pela equipe paulista na tradicional Bombonera, na capital argentina. "Joguei algumas vezes aqui, mas penso que esse foi o melhor resultado. É muito difícil eliminar o Boca. Torcida deles tem nem o que falar, canta o tempo todo. Feliz pela classificação, pelo resultado, pelo torcedor", comentou, em entrevista ao canal Conmebol TV.

O Corinthians entrou em campo com vários desfalques e jogou na defensiva os 90 minutos à espera de uma brecha para decidir o jogo num contra-ataque que nunca veio. O novo empate sem gols, como acontecera na partida de ida, forçou a disputa dos pênaltis, quando Cássio voltou a fazer a diferença para o time brasileiro.

"Jogamos do jeito que dava para jogar e conseguimos a vaga. Você tem que ler o jogo e fazer o que se pode fazer. Estávamos com muito lesionados, lutamos com o que tínhamos, todo mundo se dedicou e a gente mereceu", festejou o goleiro, eleito o melhor da partida desta terça.

Com a vaga garantida nas quartas, o Corinthians agora espera pela definição do seu adversário, que sairá do duelo entre Flamengo e Tolima. As duas equipes fazem o jogo da volta nesta quarta. Na ida, o time carioca venceu por 1 a 0.

Apesar do clima de festa, Cássio fez um alerta para a dificuldade do próximo confronto do Corinthians na Libertadores. "Passamos de fase, estou muito feliz, mas tem que se preocupar com quem vai passar. Temos mais duas competições (Copa do Brasil e Brasileirão), espero que a gente possa recuperar todos os nossos jogadores. Podemos enfrentar equipes com mais qualidade, mas vontade e dedicação não vão faltar", comentou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.