Rodrigo Coca/Agência Corinthians
Rodrigo Coca/Agência Corinthians

Cássio deve se tornar o segundo com mais jogos no Corinthians já na 21ª rodada do Brasileirão

O goleiro alvinegro igualou o ídolo Ronaldo no último compromisso e deve alcançar em breve outro ícone: Luizinho, o Pequeno Polegar

Antonio Vessani, especial para o Estadão

21 de julho de 2022 | 16h27

Cássio está bem próximo de se tornar o segundo jogador que mais vestiu a camisa do Corinthians em toda a sua história. O camisa 12 igualou Ronaldo Giovanelli com a marca de 602 partidas, alcançando o terceiro posto da lista na última quarta-feira, na vitória diante do Coritiba, por 3 a 1, na Neo Química Arena, em confronto válido pela 18ª rodada do Brasileiro.

Se atuar em todos os próximos compromissos alvinegros, com Copa do Brasil e Libertadores no caminho, o goleiro de 35 anos chegará em Luizinho no duelo com o Avaí, dia 6 de agosto, válido pela 21ª rodada do Brasileirão. O Pequeno Polegar, que anotou 174 gols pelo clube e é o sétimo maior artilheiro da história, jogou 607 partidas. Cássio se isolaria na segunda posição nas quartas de finais da Libertadores, contra o Flamengo, no jogo de volta, marcado para o Maracanã.

A missão de se tornar o principal nome desta estatística, no entanto, será bastante complicada. O líder de aparições pelo Corinthians é o ex-lateral-esquerdo Wladimir. O ídolo da Democracia Corintiana esteve em campo em 806 oportunidades. Cássio teria que prolongar sua carreira por mais alguns anos, manter-se saudável em todos eles e beirar ou até ultrapassar a idade dos 40.

Cássio homenageou Ronaldo contra o Coritiba utilizando luvas personalizadas na cor preta e com uma parte quadriculada próxima aos dedos. A referência é ao marcante uniforme vestido pelo ex-camisa 1. O atual capitão alvinegro sempre fala que o ex-goleiro é maior no clube.

“Posso até passar o Ronaldo, mas, para mim, ele sempre será o maior goleiro do Corinthians. É um cara que eu respeito muito, não tenho essa vaidade, conversando com ele, não tem nenhuma vaidade. Mas não só o Ronaldo, o Júlio César, Dida, Gilmar, e tantos outros goleiros. Fico feliz de estar representando eles hoje e dar continuidade”, comentou o goleiro, na época em que iria cravar 550 jogos.

Ronaldo levantou sete títulos no clube do Parque São Jorge: o Brasileiro de 1990, os Paulistas de 1988, 1995 e 1997, a Copa do Brasil de 1995, o troféu Ramón de Carranza de 1996 e a Supercopa do Brasil de 1991. Cássio tem nove conquistas em sua galeria, ficando atrás somente de Marcelinho Carioca, com dez. Logo na primeira temporada, o goleiro faturou a inédita Libertadores e o Mundial de Clubes da Fifa, ambos em 2012. Depois, fez história com mais dois Brasileiros (2015 e 2017), quatro Paulistas (2013, 2017, 2018 e 2019), e uma Recopa Sulamericana (2013).

Cássio, que esteve na última Copa do Mundo, na Rússia, vive grande fase pelo Corinthians. O camisa 12 foi o herói da classificação nas oitavas de finais da Libertadores da América, contra o Boca Juniors, no La Bombonera, decidida nos pênaltis. O goleiro já disputou 38 partidas em 2022 e segue firme para cumprir seu atual contrato, válido até 2024.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.