André Borges/Estadão Conteúdo
André Borges/Estadão Conteúdo

Cássio lamenta falha em gol do Flu e ganha apoio do técnico do Corinthians

'Foi uma falha técnica', diz Fábio Carille, pontuando que erros acontecem e Cássio tem credibilidade pela a sua história no time

Redação, Estadão Conteúdo

15 de setembro de 2019 | 20h45

De joelhos no castigado gramado do estádio Mané Garrincha, em Brasília, com as duas mãos no solo, um cabisbaixo Cássio observava a bola na rede, dentro do seu gol. A falha do goleiro foi determinante para a derrota do Corinthians para o Fluminense por 1 a 0, neste domingo, na capital Federal, quebrando sequência de dez jogos sem perder.

No lance, Ganso arriscou chute de fora da área, o goleiro falhou no movimento, a bola bateu em sua mão esquerda, no ombro e foi para o fundo do gol. Atônitos com a falha de um goleiro de alto nível, que por tantas vezes salvou o time e frequenta a seleção, os jogadores do Corinthians rapidamente foram incentivar o companheiro.

"Falhei, acabei errando. Não consegui ver a bola quando ela saiu no chute. Fiquei procurando. Infelizmente, acontece. Fui fazer o movimento e, infelizmente, a bola saiu do meu braço. Foi uma falha que não pode acontecer. Mas faz parte do jogo. Não me empolgo quando acontece algo bom e também é preciso personalidade quando ocorre algo ruim", reconheceu o goleiro.

A tarde não era mesmo de Cássio. A condição ruim do gramado em Brasília quase tirou o jogador da partida minuto antes de ela começar. Durante o aquecimento, numa jogada comum, a bola tocou o solo na grande área e acertou o rosto do goleiro, que não esperava por aquilo e caiu. Ele precisou de atendimento médico.

No entanto, o jogador negou eventual relação entre o acidente antes do jogo e a falha no gol. "Não estava 100% quando o jogo começou, mas não justifica o gol que tomei. São coisas diferentes. Podia muito bem chegar aqui e inventar uma desculpa, mas não. Foi uma sensação que nunca tinha acontecido comigo. O gramado naquela parte do campo não estava bom. A bola quicou e subiu mais que o normal. Acabou acertando meu olho e o nariz, em cheio. Fiquei sem reação. O médico disse que era uma situação que acontece muito com boxeador. Demorei um pouco para voltar ao normal, mas com o decorrer do jogo voltei ao normal".

O técnico Fábio Carille colocou um ponto final na polêmica. Classificou o evento como uma "falha técnica", ressaltando as qualidades do seu goleiro. Vale lembrar que na última rodada, a 18ª, no empate por 2 a 2 em casa com o Ceará, Cássio sofreu gol olímpico, nos acréscimos da disputa.

"Erros acontecem. Cássio tem credibilidade, o que já fez pelo clube e o que fará ainda. No gol do Ceará, o jogador rival foi muito feliz, vamos falar da qualidade do cara, virar o pé do jeito que ele fez, só vi o Roberto Carlos. Hoje foi falha, acontece, somos humanos, a gente erra, eles erram. Foi uma falha técnica", reconheceu o comandante.

Notícias relacionadas

    Encontrou algum erro? Entre em contato

    Tendências:

    O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.