Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Cássio pega dois pênaltis e coloca o Corinthians na decisão do Paulistão

Alvinegro elimina o São Paulo nas penalidades após vencer por 1 a 0 no tempo normal; equipe pega o Palmeiras na final

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

29 de março de 2018 | 00h19

Aos 47 minutos do segundo tempo, um escanteio muito bem batido por Clayson encontrou Rodriguinho livre, desmarcado, inexplicavelmente sozinho, na entrada da pequena área. Cercado por três jogadores do São Paulo, o meia do Corinthians cabeceou sem chances para Sidão – era o primeiro herói da noite. O segundo herói é um velho conhecido da torcida alvinegra, o goleiro Cássio. Na disputa de pênaltis, ele parou Diego Souza (mais uma vez) e Lizieiro, para a festa em Itaquera. Assim, 19 anos depois, o Campeonato Paulista será decidido mais uma vez por Palmeiras e Corinthians.

+ TEMPO REAL - Saiba como foi a partida que classificou o Corinthians

+ Fim do clássico tem confusão no vestiário da Arena Corinthians

O tom do jogo foi único – Diego Aguirre mandou a campo seu time para desmontar qualquer pressão do rival. Até os acréscimos, parecia que o São Paulo iria acabar com o jejum de 18 anos sem eliminar o rival em mata-mata. Mas o esforço que Rodriguinho fez para estar em campo, passando por tratamento em dois períodos para conseguir se recuperar de um desconforto muscular que o tirou do primeiro jogo, valeu a pena.

Se no jogo de ida, que terminou com vitória são-paulina por 1 a 0, uma das polêmicas foi o fato de Aguirre não ter cumprimentado o técnico corintiano, Fábio Carille, nesta quarta-feira os dois estiveram em paz, se abraçaram e trocaram presentes. Mas o clima ameno ficou apenas entre eles. Na arena alvinegra, o clima era de absoluta tensão, que subiu para o gramado junto com os jogadores – as divididas foram agudas, as discussões ríspidas, em uma atmosfera em ebulição. 

O primeiro tempo corria pegado quando uma bola meio despretensiosa sobrou para o atacante colombiano Tréllez, do São Paulo. Ele partiu em velocidade para cima de Cássio, mas mais uma vez perdeu a briga com o goleiro, que luta por um lugar na lista definitiva da seleção brasileira que o técnico Tite vai levar para a Copa do Mundo da Rússia – no domingo, o rebote sobrou para Nenê fazer o gol, mas nesta quarta, a defesa do Corinthians afastou. 

Na segunda etapa, talvez de forma involuntária, quanto mais o tempo passava, mais o “tricolor uruguaio” recuava. Mas, mesmo assim, o Corinthians não conseguia criar nenhum perigo real para o gol de Sidão, que se limitava a organizar sua defesa. Carille e Aguirre tentaram de tudo no xadrez da bola e mandaram a campo velhas armas – Danilo e Diego Souza, que pouco fizeram. Novos nomes também apareceram, como Pedrinho para os donos da casa e Caíque e Lucas Fernandes para os visitantes. Também não renderam muito. 

+ Antero Greco - Vida dura a do São Paulo…

+ Emerson Sheik provoca Aguirre após classificação do Corinthians

+ 'Temos que reconstruir coisas a partir desta dor', afirma Aguirre

Quando o jogo parecia decidido, um escanteio pra lá de maroto recolocou o Corinthians na briga. O gol de Rodriguinho foi o começo da festa, que continuou com a disputa de pênaltis, quando o estádio se transformou em um caldeirão. O sangue frio faria a diferença, para batedores e para os goleiros. 

Com a força da Fiel, os mandantes marcaram com Matheus Vital, Clayson, Pedrinho Maycon e Danilo. Por ironia do destino, Rodriguinho quase virou vilão e perdeu sua cobrança.

Mas o Corinthians tinha Cássio. Ele pegou a cobrança de Diego Souza e a derradeira batida por Lizieiro. A bola ainda caprichosamente bateu na trave antes da garantia de que não entraria e a arena estourou de alegria. Lucas Fernandes, Bruno Alves, Reinaldo e Militão marcaram para o Tricolor. 

Após o fim do jogo, as provocações corintianas explodiram. O telão da arena exibia a mensagem #respeitaoprofessor, numa alusão à discussão entre Carille e Aguirre. Nos vestiários, Rodriguinho, um dos heróis do Corinthians, ironizava o São Paulo – pouco antes da decisão, o site que comercializa os ingressos para os torcedores são-paulinos começou a vender entradas para a final de sábado. “Eles foram mal de novo, hein? Bom, não vai ter jogo no Morumbi, mas vai ter aqui. Será um prazer receber quem comprou”, disse o autor do gol que levou a disputa para as penalidades. 

Por fim, o que fica é que a decisão entre Corinthians e Palmeiras começa no sábado, 16h30, na arena alvinegra. A finalíssima está marcada para o Allianz Parque, dia 8 de abril, às 16h. A semana de Dérbi promete.

FICHA TÉCNICA

CORINTHIANS 1 X 0 SÃO PAULO (5 x 4 nos pênaltis) 

CORINTHIANS - Cássio; Fagner (Mantuan), Pedro Henrique, Henrique e Sidcley; Gabriel (Pedrinho), Maycon, Mateus Vital, Rodriguinho e Clayson; Emerson Sheik (Danilo). Técnico: Fábio Carille.

SÃO PAULO - Sidão; Militão, Arboleda, Bruno Alves e Reinaldo; Jucilei, Petros, Liziero e Nenê (Lucas Fernandes); Marcos Guilherme (Caíque) e Tréllez (Diego Souza). Técnico: Diego Aguirre.

GOL - Rodriguinho, aos 47 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Sidão, Reinaldo, Militão, Fagner, Henrique e Rodriguinho.

RENDA - R$ 2.603.440,11.

PÚBLICO - 43.062 pagantes.

ÁRBITRO - Vinicius Gonçalves Dias Araújo.

LOCAL - Arena Corinthians.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.