Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians
Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians

Cássio revela proposta e diz que foco é dar volta por cima no Corinthians

Goleiro reconquistou espaço com a chegada de Cristóvão Borges

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

13 de julho de 2016 | 16h14

No Corinthians desde 2012, o goleiro Cássio comemora o fato de conseguir ter dado a volta por cima, após parar no banco de reservas e quase deixar o clube. Em entrevista coletiva nesta quarta-feira, ele revelou que recebeu recentemente uma proposta para sair, mas os clubes não entraram em acordo.

“Teve uma proposta de compra de um time brasileiro, mas não aconteceu. As partes não tiveram acordo. Não penso em sair agora e continuei trabalhando, para recuperar minha posição, tanto que consegui voltar e jogar no nível que vinha jogando antes”, comentou o goleiro, que não quis citar o nome, mas nos bastidores se comenta que o Grêmio era o clube interessado nele.

Titular e ídolo da torcida, Cássio passou a perder espaço e após um jogo em que ficou fora, por causa da morte da avó, foi para o banco de reservas e só voltou a ter mais espaço com a chegada do técnico Cristóvão Borges. O goleiro contou que, antes do jogo contra o Flamengo, teve uma conversa com o treinador e ao lado de Walter, seu reserva, ficou sabendo que voltaria a ser titular.

“Conversamos antes do jogo com o Flamengo, o Cristóvão deve ter falado com o Mauri (Lima, preparador de goleiros). Ele nos chamou, Walter e eu, e disse que eu teria sequência e que seria o goleiro titular. Tite uma vez optou pelo Walter e essas coisas são naturais no futebol”, explicou.

Durante a má fase, Cássio recebeu muito apoio da torcida e isso acabou lhe incentivando a dar a volta por cima. “Tenho cinco anos de Corinthians e é normal ter queda. Sou próximo à família e isso é algo complicado. Não quero tirar o foco do erro, mas atrapalhou, superei e me levantei rapidamente. Do corintiano, escutei apoio e vi diversas manifestações no Instagram do Corinthians, coisas positivas”, lembrou.

 

Notícias relacionadas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.