Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians
Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians

Cássio vê Corinthians mais confiante e destaca força do time na arena

Goleiro acredita que o time alvinegro precisa focar em fazer um bom trabalho na partida que será na Arena

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

29 de março de 2018 | 20h06

Destaque da classificação do Corinthians sobre o São Paulo, nos pênaltis, o goleiro Cássio disse nessa quinta-feira que o time chega para a decisão do Campeonato Paulista contra o Palmeiras mais confiante. Ele ainda destacou a importância de fazer um bom resultado no primeiro jogo da final, em casa.

+ FPF define detalhes da decisão do Estadual

+ Cássio diz que não estudou pênaltis: ‘É feeling’

+ Andrés vê soberba do São Paulo

"São dois jogos e não acho que tenha que definir tudo numa partida só. São duas partidas, uma com a torcida a favor e outra contra. Temos que nos impor em casa para chegarmos na final. O estádio estará lotado e essa classificação nos deu confiança. Queremos sair com a vantagem, mas sabemos que o título não sai em uma partida só. No nosso estádio, temos que nos impor como mandantes", destacou o goleiro, em entrevista coletiva realizada no CT Joaquim Grava.

Cássio comentou sobre o fato de ter que disputar uma decisão com torcida única. Caso o Corinthians seja campeão, a equipe não deverá fazer festa no campo, pois o confronto no Allianz Parque será realizado tendo apenas palmeirenses no estádio.

A última vez que Corinthians e Palmeiras decidiram um título foi em 1999, em duelos válidos também pelo Campeonato Paulista. Cássio tinha apenas 12 anos e vivia no Rio Grande do Sul, mas disse lembrar do lance mais famoso daquela decisão, que foram as embaixadinhas de Edilson e a briga generalizada em campo. Para o goleiro, as provocações do passado não podem ser feitas atualmente.

"Hoje, está tudo diferente. O pessoal é mais contido sobre provocações e essas coisas. Eu não gosto, sou mais na minha, mas não sou contra. Sobre 1999, estava em Veranópolis com minha família e lembro da confusão. Acho difícil ter isso hoje em dia, até porque antes não tinham as punições como hoje. Violência, não, mas provocação era até uma coisa sadia naquela época, hoje em dia não é tanto, dá muita repercussão e a gente tem que tomar cuidado com o que fala", comentou.

O elenco do Corinthians volta aos treinos na manhã desta sexta-feira, quando o técnico Fábio Carille define o time que encara o Palmeiras no primeiro jogo da decisão, às 16h30, na Arena Corinthians.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.