Castán vê oscilação da defesa corintiana e quer evolução

A queda de rendimento do Corinthians no Campeonato Brasileiro tem se refletido também no setor defensivo. Depois de um grande início, quando tomou apenas quatro gols nos nove primeiros jogos, a equipe não conseguiu manter a média, já sofreu 16 gols no total e não conta mais com a melhor defesa da competição, posto que pertence ao Palmeiras - com 13 gols sofridos.

VITOR MARQUES, Agência Estado

23 de agosto de 2011 | 12h01

Somente nas últimas três rodadas, a defesa corintiana foi vazada seis vezes, números que preocupam quem atua no setor. "Nos últimos jogos, tomamos gols que não estávamos acostumados. Chega uma fase do campeonato em que as equipes oscilam mais. E, no nosso caso, aconteceram mudanças na defesa", declarou o zagueiro Leandro Castán, lembrando das lesões dos laterais Fábio Santos e Ramon, além do recente retorno do lateral-direito Alessandro, que estava contundido.

Para acabar com essa sequência, o técnico Tite tem treinado muito as jogadas de bola aérea. Leandro Castán confia nesta evolução, mas lembra que, mesmo com o fraco desempenho, a equipe se manteve em primeiro lugar no Brasileirão. "Mesmo assim, continuamos na liderança", apontou o zagueiro. "O mais importante é no final do campeonato a gente conquiste o título", completou.

O momento do Corinthians no campeonato não é bom. Foram apenas duas vitórias nas últimas sete partidas e a boa vantagem para o Flamengo diminuiu para apenas dois pontos - 37 a 35. Para o zagueiro, o time paulista passou a ser mais "estudado" por conta do grande início no Brasileirão.

"Não digo que a nossa equipe ficou manjada, mas todas as outras equipes passaram a estudar mais a gente", avaliou Leandro Castán. "Mas realmente não podemos tomar esses gols. O Tite está conversando com a gente para resolver isso", garantiu.

Para espantar a má fase, nada melhor que uma vitória diante do principal rival, o Palmeiras, no próximo domingo, em Presidente Prudente. Para conseguir o triunfo e garantir o simbólico título do primeiro turno, o Corinthians terá toda a semana para treinar, enquanto o adversário entra em campo na quinta-feira pela Copa Sul-Americana. "Isso pode ser um ponto positivo", disse Leandro Castán.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.