Giuseppe Cacace/ AFP
Giuseppe Cacace/ AFP

Catar exigirá teste negativo de covid-19 para torcedores no Mundial de Clubes

Outras medidas também serão aplicadas: distanciamento social, uso de máscaras, álcool em gel e um app que rastreia contatos

Redação, O Estado de S.Paulo

23 de janeiro de 2021 | 22h56

Os torcedores que compraram ingressos para o Mundial de Clubes que será realizado em fevereiro de 2021 precisarão passar por testes para o novo coronavírus para poderem ir aos estádios. A nova exigência foi informada pelo conselheiro para assuntos esportivos do Ministério da Saúde do Catar, Abdulwahab Al Musleh.

"Os torcedores terão que se submeter ao PCR ou ao teste antígeno pelo menos 72 horas antes de cada partida. Se os resultados forem negativos, não poderão receber seu ingresso", contou Al Musleh. O distanciamento social, uso de máscaras, álcool em gel e o app que rastreia o contato no país também serão obrigatórios, de acordo com a autoridade.

O governo do Catar permitiu que quase 50% da capacidade dos dois estádios que receberão os jogos sejam ocupados. No Cidade da Educação, que receberá a semifinal, cerca de 21 mmil pessoas poderão acompanhar a partida que terá o campeão da Libertadores, Palmeiras ou Santos, contra Tigres, do México, ou Hyundai Ulsan, da Coreia do Sul. Já o recém-reformado Ahmad Bin Ali, sede da semifinal que terá o Bayern de Munique contra o Al Duhail, campeão catari, ou Al Ahly, do Egito, terá à venda pouco menos de 20 mil.

A Fifa não vai impedir a venda de ingressos a pessoas que não morem no Catar, como se cogitou, mas o protocolo rígido pode dificultar a ida de brasileiros em um momento que a pandemia segue com números crescentes no País.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.