Catar ironiza critica dos EUA em disputa por Copa

Bin Hammam respondeu que altas temperaturas também são problema para os norte-americanos

AE-AP, Agência Estado

22 de novembro de 2010 | 14h37

Membro do Comitê Executivo da Fifa, Mohamed Bin Hammam reagiu às sugestões do colega norte-americano Chuck Blazer de que o Catar é muito quente para sediar a Copa do Mundo de 2022. Na semana passada, Blazer disse que o país asiático pode até colocar ar-condicionado nos seus estádios, mas "não vejo como você pode colocar ar-condicionado em todo o país".

Bin Hammam respondeu em seu site, afirmando que as altas temperaturas também são um problema nos Estados Unidos, além de ter criticado Blazer. "Ninguém criticou os Estados Unidos por colocar os jogadores e os dirigentes em situações de risco à saúde" durante a Copa do Mundo de 1994.

Catar e os Estados Unidos disputam o direito de sediar a Copa do Mundo de 2022 com Austrália, Japão e Coreia do Sul. A definição dos países que vão receber os Mundiais de 2018 e 2022 acontecerá no dia 2 de dezembro através de votação do Comitê Executivo da Fifa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.