Mohamed El Shahed/ AFP
Mohamed El Shahed/ AFP

Catar promete Copa do Mundo de 2022 'acessível' economicamente para os torcedores

Custos de viagem e hospedagem devem ficar mais baratos para receber um número maior de turistas

AFP, O Estado de S.Paulo

21 de maio de 2020 | 08h00

A Copa do Mundo de 2022 no Catar será "acessível" economicamente para os fãs, prometeu o presidente do comitê organizador da competição, temendo que uma recessão após a pandemia de coronavírus impeça os torcedores de fazerem a viagem. Desde que o país foi escolhido para receber o Mundial de Futebol, começou a discussão sobre os valores que os torcedores deverão gastar no Catar, que é conhecido pelo luxo e preços elevados em relação ao restante do mundo.

"Sempre dissemos, desde o primeiro dia, que será uma Copa do Mundo acessível. Queremos que todos aqueles que desejarem, possam vir à Copa do Mundo no Catar", disse Hassan Al-Thawadi, sem dar maiores explicações de como o Mundial poderia se tornar mais acessível aos torcedores estrangeiros , mas dando a entender que os custos de viagem e hotelaria poderiam ser reduzidos durante o período da disputa. Vale lembrar que as eliminatórias para a Copa estavam comecando quando o mundo foi pego pela pandemia e as partidas foram adiadas, sem datas para voltar ainda. 

"Demonstramos durante o Mundial de Clubes (2019), ao receber torcedores de todos os clubes participantes, que a viagem foi acessível do ponto de vista de voos e acomodações", acrescentou ele em videoconferência. Os temores decorrem de uma recessão global provocada pela pandemia da covid-19, que pode levar os torcedores a desistirem de seus projetos de viajar para a Copa do Mundo no outono (do hemisfério norte) de 2022.

"Estamos entrando em recessão, não há dúvidas sobre as preocupações sobre a economia mundial e a capacidade dos fãs de pagar pela viagem", continuou Hassan Al-Thawadi. "O problema que temos hoje é saber como será a recuperação financeira de todos", acrescentou. Além disso, o país-sede terá de lidar com os efeitos psicológicos da doença e de como as pessoas que amam o futebol vão se comportar de agora em diante em relação às aglomerações. 

O Catar ainda espera que seis de seus oito estádios sejam concluídos até o fim deste ano, apesar da interrupção devido à covid-19. A Copa do Mundo está programada para novembro e dezembro de 2022, ao invés da disputa tradicional em junho e julho, o que garante um tempo a mais para a retomada das viagens internacionais. "Até 2022, estou otimista de que superaremos essa pandemia", disse Al Thawadi. "Será uma das primeiras oportunidades para todos celebrarmos juntos, nos envolvermos, reunir pessoas."

O Catar promete que a Copa do Mundo será acessível aos fãs, mas a pequena nação rica em gás foi afetada pelo fechamento da atividade econômica em muitos países. A estatal Qatar Airways, uma das patrocinadoras da Copa, disse que reduzirá empregos, já que a indústria global da aviação está amplamente prejudicada neste período. "Sempre há a preocupação com a economia global, que deve atrapalhar a possibilidade de os fãs poderem viajar para comemorar a Copa", completou Al Thawadi

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.