Catar promete minimizar calor para sediar Copa

País do Oriente Médio vai exibir projeto de estádio que mantenha temperatura em 27ºC em campo e nas tribunas

AE-AP, Agência Estado

13 de setembro de 2010 | 15h39

O Catar prometeu usar recursos tecnológicos para minimizar o calor extremo se for escolhido como sede da Copa do Mundo de 2022. Esta semana, com a visita dos inspetores da Fifa, os responsáveis pela candidatura poderão demonstrar o funcionamento do sistema.

O país receberá a partir de terça-feira a delegação da Fifa e o primordial será uma exibição de um estádio desenhado especificamente para que a temperatura se mantenha nos 27ºC em campo e nas tribunas, mais fresco que os 41ºC que se sentem nos meses de junho, julho e agosto.

Se trata de um sistema que funciona com energia solar e o que faz é manter um fluxo constante de ar frio. Hassan al-Thawadi, diretor-executivo da candidatura do Catar, declarou que a tecnologia poderia ser empregada nos próximos anos para os locais de treinamento e até em áreas de ar livre.

O último verão no Catar foi o mais quente da história, com um dia em julho no qual a temperatura superou os 50ºC. O calor e as leis restritivas contra o consumo de álcool se apresentam como os principais obstáculos para a candidatura do país do Oriente Médio.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCopa do MundoCatar

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.