Cautela: a ordem no Volta Redonda

A um empate do primeiro título do Campeonato Carioca de sua história, o Volta Redonda, com 29 anos de fundação, vê em sua cidade um clima de euforia pela qual não quer desfrutar antes da hora. A excelente e, ao mesmo tempo, surpreendente campanha da equipe na competição está sendo chamada de ?febre amarela e preta? por seustorcedores. Esse entusiasmo, pelo visto, não contagiou a delegação doVolta Redonda um dia após a vitória sobre o Fluminense, por 4 a 2, naprimeira partida da final.?O Fluminense ainda é o favorito pela força de sua camisa, pelatradição, pela torcida. Mas o Volta Redonda mostrou que tem potencialpara ficar com o título?, declarou o atacante Túlio Maravilha,artilheiro do Carioca, com 12 gols. Conhecido por seu jeito falastrão, Túlio disse que parecia uminiciante no jogo de domingo. Se movimentou com desenvoltura, voltoupara buscar a bola no meio-de-campo, deu bons passes e fez um gol.?Decisão é comigo mesmo. Me encarno em Gérson, Pelé, Garrincha, Robinhoe Ronaldo. Numa final tem de improvisar para surpreender oadversário?.O técnico do Volta Redonda, Dário Lourenço, começa nesta terça-feira a preparar a equipe para o confronto de domingo. Mas já sabe o que o Volta Redonda precisa fazer para não decepcionar seus torcedores.?A garra, a determinação e a vontade têm que prevalecer para o VoltaRedonda se sagrar campeão?, declarou o técnico Dário Lourenço, quereintegrou o veterano atacante Humberto ao elenco, mas vai manter LéoGuerra ao lado de Túlio Maravilha na ?grande decisão?.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.