Cauteloso fora de casa, Fluminense encara Palmeiras em busca da liderança

Apontados como favoritos ao título do Campeonato Brasileiro, Fluminense e Palmeiras se enfrentam nesta quarta-feira, às 21h45, no Allianz Parque, em São Paulo. O time carioca chega à 3ª rodada da competição com a missão de recuperar os pontos perdidos em casa ao empatar com o Santa Cruz por 1 a 1, no fim de semana.

Thiago Rabelo, especial para a AE, Estadão Conteúdo

25 de maio de 2016 | 07h50

Com quatro pontos, o time figura na terceira posição, mas poderia ser o líder, caso não tivesse tropeçado em casa. O mesmo acontece com o Palmeiras, que decepcionou na última rodada ao perder para a Ponte Preta, por 2 a 1, em jogo que deixou o técnico Cuca furioso com a arbitragem.

Diferentemente das duas primeiras rodadas, quando apostou em uma equipe ofensiva, com três atacantes, o técnico Levir Culpi adota uma postura mais cautelosa, com a entrada do volante Edson no lugar do centroavante Richarlison. Dessa forma, Cícero ganha mais liberdade no meio de campo, com o deslocamento de Gustavo Scarpa para a ponta esquerda, posição em que se destacou no Campeonato Carioca e no título da Copa Sul-Minas-Rio.

A última vez que Fluminense e Palmeiras se enfrentaram foi na semifinal da Copa do Brasil, na qual a equipe paulista levou a melhor nos pênaltis, garantiu a vaga na decisão e conquistou o título em cima do Santos. Contratado no final do ano, o lateral-direito Jonathan não vê a partida como revanche, mas espera que o time tenha comportamento diferente para o jogo.

"Todo adversário é difícil, mas o Fluminense tem de encarar como se fosse na final. Para mim não é clima de revanche porque eu não joguei. Mas, quem esteve em campo, talvez sinto isso. Existe a mágoa por ter saído nos pênaltis, mas agora é outro ano, é outra história", definiu o jogador.

O único desfalque tricolor para o confronto é o meia Gérson. Apesar de ter perdido a posição de titular na reta final do Campeonato Carioca, o jogador sempre tem sido utilizado pelo treinador durante os jogos, mas fica de fora por sentir dores no ombro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.