EFE
EFE

Cavani e Suárez brilham e Uruguai goleia o Paraguai nas Eliminatórias

Boa fase do Paraguai não resiste à superioridade do time da casa, que faz 4 a 0

Estadão Conteúdo

06 de setembro de 2016 | 21h53

A boa fase do Paraguai nas Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018 não resistiu à superioridade técnica do Uruguai nesta terça-feira. Diante de sua torcida em Montevidéu e embalado por ótimas atuações de Luis Suárez e Edinson Cavani, o time de Oscar Tabárez atropelou o adversário ao fazer 4 a 0.

O resultado levou o Uruguai a 16 pontos, no primeiro lugar, e o deixou mais próximo do sonho de ir a mais uma Copa em 2018, na Rússia. O Paraguai, por sua vez, vinha de quatro partidas consecutivas sem derrota, sendo a última uma boa vitória sobre o Chile, mas estacionou nos 12 pontos e segue fora da zona de classificação.

Apesar do embalo do Paraguai, a maior qualidade técnica do Uruguai ficou escancarada desde o início. Se não assustava, o time da casa mantinha a posse de bola. Com o passar do tempo, começou a ameaçar o gol de Barreto, até abrir o placar aos 17 minutos. Suárez recebeu pela direita, levou a melhor sobre o zagueiro e cruzou rasteiro para o meio da área. Cavani chegou desviando cruzado, sem chance para o goleiro.

O gol deixou o Uruguai ainda mais tranquilo no comando da partida. Cavani e, principalmente, Suárez infernizavam a defesa do Paraguai pelos lados do campo. Mas foi de um escanteio que saiu o segundo. Aos 42 minutos, Gastón Ramírez cruzou, Cristian "Cebolla" Rodríguez se antecipou a Barreto, que saiu mal, e desviou para a rede.

Com o Paraguai assustado, os uruguaios aproveitaram para ampliar ainda na primeira etapa. Mais uma vez, Suárez caiu pelo lado esquerdo e fez o que quis na defesa adversária. Depois de invadir a área, foi derrubado de forma infantil por um carrinho de Aguilar. O próprio atacante do Barcelona cobrou o pênalti com categoria para balançar a rede.

Se a esperança paraguaia era diminuir o prejuízo no segundo tempo, o Uruguai voltou disposto a golear. E não demorou para chegar ao quarto gol. Suárez foi novamente o responsável por criar a jogada. Ele arrancou pela esquerda, invadiu a área e ainda deixou o marcador no chão antes de colocar na cabeça de Cavani, que desviou para o gol aos oito minutos.

Só então, com a goleada construída, o Uruguai diminuiu o ritmo e administrou o resultado. Tabárez se deu ao luxo de tirar seus dois destaques, Cavani e Suárez, antes mesmo dos 30 minutos, tamanha a tranquilidade. Ainda assim, foram seus comandados que ficaram com a posse de bola na reta final, diante de um Paraguai estagnado, que não levou perigo ao gol de Muslera sequer uma vez.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.