CBF adia decisão sobre Ronaldo

A participação ou não do atacante Ronaldo, do Real Madrid, na Copa das Confederações da Alemanha será decidida assim que o jogador se apresentar à seleção para as partidas contra o Paraguai, no dia 5 de junho, em Porto Alegre, e Argentina, dia 8, em Buenos Aires, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2006. A iniciativa foi do artilheiro, que optou por resolver o assunto pessoalmente, descartando a possibilidade de telefonar, mandar carta, email ou fax à comissão técnica. Por ser disputada no período de férias dos jogadores que atuam na Europa, a Copa das Confederações, prevista para ocorrer entre os dias 15 e 29 de junho, impedirá a seus participantes de gozar os 30 dias de descanso. Antes do anúncio dos convocados para a competição, a perspectiva era a de que alguns dos principais jogadores da seleção fossem poupados. Mas o técnico da seleção, Carlos Alberto Parreira, optou por dar descanso somente a dois atletas: os laterais Cafu, do Milan, e Roberto Carlos, do Real Madrid, ambos com mais de 30 anos e ocupantes de posições onde o treinador tem as maiores dúvidas para escolher os atletas reservas. Já Ronaldo, que havia dado declarações no sentido de que gostaria de aproveitar o período integral de férias, não conseguiu a dispensa, mas ainda não desistiu e, ao chegar, vai tentar conseguir a liberação. Na noite de segunda-feira, o supervisor da seleção, Américo Faria, voltou a repetir o discurso contra o pedido de dispensa da Copa das Confederações feito por atletas. Ameaçou deixar de fora da Copa do Mundo de 2006, na Alemanha, quem optar por não ir este ano à Alemanha. ?Os jogadores que participarem da Copa das Confederações ficarão, evidentemente, mais próximos da Copa do Mundo?, disse Américo Faria. ?Por via de conseqüência, quem ficar de fora da Copa das Confederações estará mais distante do Mundial de 2006.? Ao afirmar isso na segunda-feira, o supervisor da seleção pareceu mandar um recado a todos os jogadores da seleção, mas o aviso foi principalmente para aqueles que ainda não asseguraram um lugar no time, como o atacante Adriano, da Internazionale de Milão. O artilheiro do time italiano havia solicitado no mesmo dia um pedido de dispensa para poder disputar a final da Copa da Itália contra a Roma, dia 12, no Estádio Olímpico, e dia 15, no San Siro. Já os mais experientes, como Ronaldo, possuem crédito, principalmente, com o técnico da seleção, que dará a palavra final sobre o assunto. Nesta sexta, Parreira retorna ao Brasil, após assistir em Istambul, na Turquia, à final da Liga dos Campeões, na quarta-feira, quando o Liverpool se sagrou campeão sobre o Milan.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.