Gleb Garanich/Reuters
Gleb Garanich/Reuters

CBF condena ofensas racistas e sai em defesa de Fernandinho: 'Todos iguais'

Autor de gol contra logo no início da partida, volante brasileiro foi alvo de críticas e tratado como 'vilão' da eliminação

Estadão Conteúdo

08 Julho 2018 | 11h34

A CBF postou neste domingo uma mensagem de apoio ao volante Fernandinho nas redes sociais. A entidade condenou os ataques racistas que o jogador sofreu após a derrota por 2 a 1 para a Bélgica, que custou a eliminação do Brasil nas quartas de final da Copa do Mundo.

+ Presidente da Croácia vai ao vestiário celebrar vitória e é alvo de críticas

+ Fifa vai avaliar medidas contra encenação de atletas em faltas sofridas

+ Marcelo diz que Brasil caiu 'de cabeça erguida' e avalia: 'Estamos perto do hexa'

No Instagram, a CBF publicou uma imagem com as palavras "Todos Iguais". Ainda escreveu que "repudia os ataques racistas sofridos pelo jogador Fernandinho e seus familiares. O futebol representa a união das cores, gêneros, culturas e povos. Estamos com vocês. Racistas não passarão."

Fernandinho foi o atleta da seleção brasileira mais criticado nas redes sociais após a eliminação da Copa do Mundo. O jogador fez um gol contra, o primeiro da partida. Na sequência, falhou na marcação e possibilitou que os belgas ampliassem.

Os ataques começaram ainda no primeiro tempo. Criticaram o desempenho dele em campo e também o xingaram de maneira racista. Palavras como "macaco" e "preto imundo" foram utilizadas para tentar ofender o atleta. Fernandinho ainda não se pronunciou sobre o assunto. Também houve quem saiu em defesa do jogador e o elogiou por se esforçar e defender a seleção brasileira.

 

Fernandinho é um dos atletas remanescentes dos 7 a 1 sofridos pelo Brasil contra a Alemanha em 2014. Apesar de não ter feito um bom jogo, Tite optou por manter o atleta durante todo o duelo contra a Bélgica. Na entrevista coletiva, o treinador também saiu em defesa do jogador. "Joga muito", disse.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.