CBF
CBF

CBF demite Leonardo Gaciba da presidência da Comissão de Arbitragem após jogo polêmico do Flamengo

Entidade decide por reformulação para 'maximizar acertos e minimizar erros'; mudança acontece um dia após erro na partida entre time do Rio contra o Bahia; Alício Pena Júnior é chamado para assumir interinamente

Redação, O Estado de S.Paulo

12 de novembro de 2021 | 11h58

A CBF informou nesta sexta-feira, dia 12, a saída de Leonardo Gaciba da presidência da Comissão de Arbitragem. Em nota oficial, a entidade afirma que pretende dar início a um processo de reformulação na arbitragem do futebol brasileiro e decidiu começar pela troca no cargo antes do fim da temporada. 

Segundo a CBF, o presidente em exercício, Ednaldo Rodrigues Gomes, se encontrou com Gaciba nesta sexta e ambos concordaram pela necessidade de mudança e a implementação de novos procedimentos para "maximizar os acertos e minimizar os erros". Foi uma conversa rápida e decidida de antemão pela entidade. Gaciba, o VAR e a arbitragem recebem muitas reclamações após as rodadas do Brasileirão. A siatuação era insustentável.

"A CBF agradece a Leonardo Gaciba pelo empenho e pela forma altiva e incansável com que exerceu a Presidência da Comissão de Arbitragem", divulgou a entidade. 

Leonardo Gaciba estava no cargo desde 2019, quando foi contratado por Rogério Caboclo, dirigente afastado da CBF por assédio. A chegada do ex-árbitro coincidiu com um alto investimento em tecnologia, bem como o uso do árbitro assistente de vídeo (VAR). Alício Pena Júnior, atual vice-Presidente da Comissão de Arbitragem, assume a função interinamente até o fim da temporada de 2021. Não se sabe se ele ficará no comando. Alício sempre foi crítico ao trabalho de Gaciba. 

A saída de Leonardo Gaciba coincide com uma série de reclamações dos clubes nas últimas rodadas do Campeonato Brasileiro. A gota d'água aconteceu nesta quinta-feira, na vitória do Flamengo por 3 a 0 sobre o Bahia. Mesmo com o auxílio do VAR, o árbitro Vinicius Gonçalves Dias Araújo marcou um pênalti inexistente para o rubro-negro carioca.  No lance foi assinalado que a bola bate na mão de Conti, do tricolor baiano, dentro da área. Porém, a bola pega no peito do jogador. 

A decisão irritou muito os jogadores do Bahia, que ameaçaram não voltar para o segundo tempo. No Twitter, o presidente do clube tricolor esbravejou contra a decisão do árbitro. "O futebol brasileiro virou um escândalo, um assalto, um absurdo. Fechem as portas. Terceiro jogo seguido com erro afrontoso contra o Bahia. Vergonhoso, indisfarçável. Querem rebaixar o Bahia? Eu imagino porque. Mas não vão conseguir."

Na sua primeira entrevista como novo chefe da Arbitragem da CBF, Alício Pena Júnior disse que assume com o objetivo de dar "tranquilidade" e diminuir a pressão sobre os árbitros, além de qualificar o quadro  de profissionais. Questionado sobre o momento de crise técnica do setor, ele afirma que nível no Brasil é bom e juízes são "honestos". 

"Todos que trabalham sob pressão têm dificuldade em exercer sua profissão. Temos que continuar com esse aprimoramento, tentar qualificar os árbitros para este momento de dificuldade, para termos melhores arbitragens", disse. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.