CBF demite médico que acusa Ronaldo de usar anabolizantes

Bernardino Santi foi demitido da entidade por não considerar sua postura como apropriada para a função

Redação,

15 de fevereiro de 2008 | 14h27

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) demitiu nesta sexta-feira o médico Bernardino Santi, que acusou Ronaldo de ter utilizado anabolizantes quando atuava pelo PSV Eindhoven, da Holanda. Ele era o responsável pela coordenação do controle antidoping da CBF em São Paulo e médico do Comitê Olímpico Brasileiro (COB).   Veja também:  De 'coração partido', Lula envia mensagem de apoio a Ronaldo  Ancelotti acha que Ronaldo ainda pode 'render bem' por 3 anos  Ex-jogadores acreditam na recuperação de Ronaldo A trajetória de Ronaldo no futebol Milan diz que espera Ronaldo, mas não fala de contrato  Ronaldo conseguirá superar mais uma contusão?Procurado pelo estadao.com.br, o médico não atendeu às ligações por telefone e nem retornou os recados deixados em sua secretária eletrônica, para comentar sua saída da entidade.Santi acusa o futebol holandês de utilizar esteróides anabolizantes para o desenvolvimento físico de jogadores. "A Holanda tem maior liberdade na utilização de determinadas substâncias e é sabido que uma parte do trabalho de fortalecimento foi baseada em esteróide anabolizante" (leia mais aqui).   Ronaldo foi submetido nesta quinta-feira a uma cirurgia para reconstituição do tendão patelar do joelho esquerdo - se machucou na última terça-feira, no jogo Milan 1 x 1 Livorno, ao subir para tentar cabecear a bola - e deve ficar afastado dos gramados por, pelo menos, nove meses. Atualizado às 15h30, para acréscimo de informações

Tudo o que sabemos sobre:
RonaldoCBFanabolizantedoping

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.