Marcos de Paula/Estadão
Marcos de Paula/Estadão

CBF e Conaf se unem contra os 'pitis' de jogadores e técnicos

Comissão de Arbitragem que o fim das reclamações em campo

O Estado de S. Paulo

14 de abril de 2015 | 12h56

'Acabou a paz' para os jogadores e treinadores que ousarem reclamar da arbitragem em competições organizadas pela CBF. Pelo menos, é o que garante uma nova circular da Comissão Nacional de Arbitragem da entidade (Conaf), assinada pelo presidente Sérgio Corrêa. Segundo ele, os protestos estão cada vez mais acintosos e devem ser punidos com mais rigor.

No manifesto, o presidente da Conaf afirma: "Aproveitamos a rodada do meio de semana da Copa do Brasil para fazer esse alerta aos árbitros. Está virando um 'piti' geral. Tem piti para lá, para cá. Quando marca lateral, reclamam. Quando marca uma falta, reclamam. Quando marca qualquer coisa, reclamam", comentou, antes de ser ainda mais enfático: "Tem de acabar o 'piti'. Os árbitros tem de tomar vergonha na cara também e punir mais. Temos visto, de maneira geral, um desrespeito total à autoridade da arbitragem. Ou cumprem a regra ou serão punidos. Isso vale para todos, jogadores, treinadores, qualquer um", bradou o presidente da entidade ao site globoesporte.com.

Como os campeonatos estaduais não são organizados pela CBF, Sérgio Corrêa não entrou no mérito das polêmicas do fim de semana, quando, por exemplo, a Ponte Preta foi prejudicada nas quartas de final do Campeonato Paulista por conta de um gol mal anulado, ou mesmo no clássico violentíssimo protagonizado por Flamengo e Vasco no domingo, no qual nenhum cartão vermelho foi mostrado. O alerta visa as partidas desta semana da Copa do Brasil.

Nas orientações da Conaf para 2015, consta um item que prega que “os que atuarem de maneira desrespeitosa, acintosa ou grosseira contra a arbitragem” devem ser expulsos. Ainda segundo o presidente da entidade, os tribunais devem ficar atentos às declarações dadas fora de campo.

"A gente tenta não estragar o espetáculo, mas não tem jeito. As pessoas não querem. Reclamam em treino, no jogo, em lateral, em tiro de meta. Reclamam de tudo. Se não está bom, alguma coisa está errada", frisou. Ele reforça mais ainda a 'tolerância zero' contra reclamações no decorrer da circular: "Todos que derem declarações contra a arbitragem de maneira desrespeitosa poderão ser punidos. Todos têm que ir para o tribunal. Ou respeita a autoridade em campo, ou será punido."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.