CBF e Globo aceitam futebol à tarde

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e a TV Globo, detentora dos direitos da maioria dos campeonatos de futebol do País, foram pegas de surpresa pela decisão do Governo Federal de proibir, a partir desta quinta-feira, o fornecimento de energia elétrica em atividades esportivas. Apesar disso, os dois prometem cumprir as determinações. Ou seja, todos os jogos administrados pela CBF - Copa do Brasil e Campeonato Brasileiro -, inicialmente marcados para a noite, acontecerão à tarde, provavelmente às 15 horas. A economia de energia decorrente da medida ainda não pode ser avaliada.Só no Campeonato Brasileiro, a principal competição do País, 129 partidas noturnas terão de ter o seu horário modificado. A CBF ainda não havia divulgado os locais onde seriam realizados os jogos, mas a Agência Estado fez um levantamento de onde seriam as partidas. Cerca de 65 desses jogos deveriam ser realizados em estádios de grande porte, com capacidade de público maior do que 40 mil pessoas. Com capacidade para 80 mil pagantes, o Morumbi, por exemplo, gasta em um jogo cerca de 2.500 kw.Ainda estariam previstos 46 partidas em estádios de porte médio, entre 15 mil e 40 mil, e 18 em pequenos, com capacidade para menos de 15 mil pessoas.O presidente da Sociedade Brasileira de Planejamento Energético, Maurício Tolmasquin, acredita que a proibição de realizar-se jogos noturnos é "louvável", mas representa pouco diante do tamanho do déficit de energia brasileiro. "Não vai resolver o problema e, por isso, infelizmente, acredito que terão de ser tomadas medidas em outras áreas." Na terça-feira, antes do anúncio das medidas do Governo, o ministro do Esporte e Turismo, Carlos Melles, explicou que o esporte tinha de dar a sua "cota de sacrifício, com outros setores". Na ocasião, ele disse acreditar que a iluminação dos estádios não era responsável por grande consumo de energia.Ao receber a determinação do Governo, a primeira medida da CBF foi alterar o horário do jogo entre Corinthians e Atlético-PR, que estava marcado para às 20h30 desta quinta-feira e foi transferido para às 15 horas. A tendência é que todos os jogos, inclusive os que estavam previstos para às 17 horas e 16 horas, passem a adotar esse novo horário. As finais dos campeonatos Carioca e Paulista, por exemplo, também deverão ser remarcadas para as 15 horas.Em comunicado oficial, a CBF foi evasiva, apenas afirmando que cumpriria a determinação do governo: "As tabelas da Copa do Brasil e do Campeonato Brasileiro estão sendo analisados pelo departamento técnico da entidade para estabelecer horários condizentes com a determinação governamental." O presidente da CBF, Ricardo Teixeira, está viajando e só deve retornar ao Brasil na próxima semana. A assessoria da Rede Globo, por sua vez, espera uma definição das Federações para tomar uma posição em relação às partidas que têm a sua transmissão prevista. O diretor da Globo Esportes, Marcelo Campos Pinto, também está fora do Rio e não deu declarações sobre o assunto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.