Washington Alves/ Light Press
Washington Alves/ Light Press

CBF faz 'balanço positivo' de partidas às 11 horas no Brasileirão

Entidade destaca que alguns dos melhores públicos do Brasileirão foram neste horário

Estadão Conteúdo

31 Outubro 2016 | 21h40

Pelo segundo ano consecutivo, o horário das 11 horas se tornou habitual ao torcedor do País no Campeonato Brasileiro. Durante boa parte da competição, aos domingos pela manhã, os fãs do futebol se acostumaram a ir aos estádios em um período do dia que não era comum até a edição da competição em 2015. E mais uma vez, a CBF se manifestou fazendo um balanço positivo da experiência.

Como no ano passado, a entidade divulgou um comunicado, nesta segunda-feira, elogiando as partidas realizadas neste horário. O "balanço positivo", como a própria CBF definiu, foi realizado tendo como base a ótima média de público nos jogos pela manhã. 

"Pelo segundo ano, os jogos das 11 horas foram bem recebidos pelo público e aprovados pelos clubes. Certamente daremos continuidade, já que estas partidas têm se mostrado uma grande alternativa para vermos famílias inteiras frequentando os estádios", comentou o diretor de Competições da CBF, Manoel Flores.

A CBF destacou que o melhor público e a principal renda do Campeonato Brasileiro foram em partidas neste horário. São Paulo x Chapecoense teve público de 54.996 e Palmeiras x Atlético-MG teve renda de R$2.935.305. A entidade também fez questão de salientar a ausência de incidentes com o calor, principal preocupação das equipes neste horário.

"Em nenhum momento as partidas aconteceram fora dos limites determinados. O trabalho mobilizou uma equipe de 10 médicos, distribuídos entre os jogos por meio de escala divulgada no site da CBF antes de cada rodada. Paramos com os jogos exatamente quando se estava programado, no início do horário de verão. Vamos manter esse monitoramento para a próxima temporada", garantiu Manoel Flores.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.