CBF fecha contrato com a Brasil Foods e vende nome da Copa do Brasil

Empresa do ramo alimentício utilizará marca e chamará disputa de Copa Perdigão do Brasil

AE, Agência Estado

25 de fevereiro de 2013 | 15h33

SÃO PAULO - A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) decidiu alterar o formato da Copa do Brasil nesta temporada, incluindo os times que disputam a Copa Libertadores, mas havia perdido o principal patrocínio da competição. Depois de não renovar com a montadora Kia, a CBF fechou contrato com a Brasil Foods, segundo o Estado.

Pelo acordo, a BRF será a proprietária, por três anos, dos direitos de nome da Copa do Brasil. A empresa do ramo alimentício vai utilizar a sua marca Perdigão. Assim, a competição passará a se chamar "Copa Perdigão do Brasil".

O patrocínio do torneio é o maior já feito pela Perdigão e a primeira grande ação no futebol nacional. A empresa estreou nos patrocínios esportivos em 1964, com o apoio ao time de futebol de Videira, em Santa Catarina. Entre os anos 70 e 90, também patrocinou atletas de automobilismo e times de futebol de salão e basquete de cidades do interior.

Ao avançar no patrocínio esportivo, a Perdigão segue um caminho já trilhado pela Sadia, que apoia atletas como o ginasta Arthur Zanetti e a judoca Sarah Menezes, medalhistas de ouro na Olimpíada de Londres, e pela concorrente Seara, que é patrocinadora da CBF.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCopa do Brasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.