CBF insiste em ter Felipão em Seul

Ricardo Teixeira ainda não desistiu de levar o técnico Luiz Felipe Scolari para o amistoso do Brasil contra a Coréia do Sul, dia 20 de novembro, em Seul. Felipão já avisou que não vai. A outra alternativa do presidente da CBF é homenagear um técnico, mas ele garantiu nesta quarta-feira que nenhum treinador dos clubes envolvidos no Campeonato Brasileiro será convocado para o jogo de Seul."A idéia do presidente era mesmo chamar o Felipão. Os dirigentes da Coréia querem homenagear todo o grupo pentacampeão. Se ele não aceitar, a CBF vai recorrer a um técnico para fazer uma homenagem. Quem sabe o Zagallo ou outro treinador", disse Rodrigo Paiva, assessor de imprensa da CBF.Rodrigo Paiva adiantou que Ricardo Teixeira não pretende contar com nenhum jogador de clubes brasileiros para o amistoso em Seul. Apenas os "estrangeiros" serão chamados. A convocação dos 22 está prevista para o dia 6 de novembro.Depois da partida contra a Coréia do Sul, que deve render US$ 1 milhão à CBF, a seleção brasileira poderá disputar um amistoso em dezembro, ainda sem adversário definido. Dois convites estão na mesa de Ricardo Teixeira. Para a temporada de 2003, foram agendados dois amistosos, dias 12 de fevereiro e 30 de abril.Em junho, entre os dias 18 e 29, o Brasil participará da Copa das Confederações na França, com Camarões, Estados Unidos, Nova Zelândia, Colômbia, Japão, França e mais um representante da Europa. A Alemanha desistiu nesta quarta-feira da competição, alegando problemas no calendário doméstico. "O inconveniente está nas datas. Seria obrigado a participar da competição com um time de reservas e fazer o ridículo como fizemos na Copa das Confederações do México, em 1999", disse o técnico da seleção alemã, Rudi Voeller.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.